Menu
Busca quarta, 19 de fevereiro de 2020
DIREITOS HUMANOS

Carteira Nacional do Autista é lei, mas sua implantação é lenta

Alguns estados e municípios já oferecem o documento

19 janeiro 2020 - 18h00Por Agência Brasil

Criada por lei no início de janeiro, a Carteira Nacional do Autista vai garantir prioridade de atendimento em serviços públicos e privados, em especial nas áreas de saúde, educação e assistência social. O serviço, no entanto, ainda está em processo de aplicação no país.

De acordo com a Lei 13.977/2020, a Carteira de Identificação da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista (Ciptea) será emitida gratuitamente pelos órgãos estaduais, distritais e municipais, mas a implantação do serviço ainda é lenta. Alguns estados e municípios já haviam se adiantado e produzido leis locais oferecendo um serviço semelhante. Em outros, ainda não há previsão de quando a carteira será emitida.

O Distrito Federal (DF) está entre os casos em que ainda não há previsão. O governo local começará no final do mês as primeiras tratativas com a Polícia Civil, responsável pela emissão das carteiras de identidade no DF. “Nós marcamos uma reunião com o setor de identificação da Polícia Civil para o dia 28. Vamos começar ainda o processo para essa confecção”, disse subsecretário de Direitos Humanos e de Igualdade Racial da Secretaria de Justiça (Sejus), Juvenal Araújo. Segundo Araújo, ainda não é possível determinar um prazo para o início da realização do serviço.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PRESO EM OPERAÇÃO
Viciado em pornografia, 'preferência' de dentista era vídeos de adolescentes
PROPAGARE
Gaeco mira “cartas marcadas” em licitações de publicidade do governo de Rondônia
ECONOMIA
Câmara dos Deputados aprova MP do Agro; texto segue para Senado
POLÍCIA
Homem ateia fogo a casa com família dentro e tem 75% do corpo queimado