Menu
Busca domingo, 17 de janeiro de 2021

Consumidor já encontra novos preços de carros, diz Fenabrave

Consumidor já encontra novos preços de carros, diz Fenabrave

22 maio 2012 - 13h20
G1


O consumidor que chegar a partir desta terça-feira (22) a uma concessionária já pode exigir o novo preço do veículo, com o desconto do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). De acordo com a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), entidade que representa os concessionários, a medida do governo é imediata e todos os carros em estoque serão refaturados pelas montadoras.

No entanto, como o processo de refazer a tabela de preços demanda certo tempo, o consumidor que visitar nesta terça-feira uma loja pode conseguir fechar a compra apenas amanhã, quando a nova fatura for liberada. “Essa demora de um dia é só por causa da definição final dos preços, mas o consumidor pode negociar normalmente na loja”, afirma o gerente de vendas da Chevrolet Itororó Ipiranga, G. Dutra.

Assim, um Volkswagen Gol G4 1.0 duas portas, por exemplo, que custava R$ 26.960, com o novo IPI sai ao preço de R$ 24.264. A economia será de R$ 2.696. No entanto, cada montadora ou concessionária pode adotar uma ação mais agressiva de preços e dar um desconto ainda maior. Por isso, o consumidor deve ficar atento ao fechar o negócio com o faturamento do veículos.

A demora para adequação das faturas também é apontada pela secretária de vendas da Fiat Amazonas Interlagos, Keila Alves Garcia. “O consumidor consegue fechar o negócio hoje com os novos preços, mas a compra só será liberada amanhã”, ressalta.

Mudanças anunciadas

O decreto que reduz o Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) para a compra de carros foi publicado nesta terça-feira (22) no "Diário Oficial da União". A medida faz parte do pacote anunciado na segunda-feira (21) pelo governo para estimular o consumo e facilitar o crédito no país.
Também foi publicado nesta terça o decreto que trata da diminuição do Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF) para todas as operações de crédito de pessoas físicas de 2,5% para 1,5% ao ano.

Pelas novas regras, o IPI para a aquisição de automóveis, as empresas que estão instaladas no Brasil terão seu IPI para carros de até mil cilindradas (1.0) será reduzido de 7% para zero até o fim de agosto deste ano. Para carros importados de fora do Mercosul e México, a alíquota cairá de 37% para 30%.

Para veículos de mil cilindradas (1.0) a duas mil cilindradas (2.0), a alíquota para carros a álcool e "flex" (álcool e gasolina), para empresas instaladas no Brasil, será reduzida de 11% para 5,5%. Para os carros importados, a alíquota será reduzida de 41% para 35,5%. Já para carros a gasolina de mil a duas mil cilindradas, o IPI cairá de 13% para 6,5% para carros produzidos no Brasil e de 43% para 36,5% para veículos de fora do Mercosul e México. No caso dos utilitários, a alíquota será reduzida de 4% para 1% (empresas instaladas no país) e, para carros importados, cairá de 34% para 31%. Confira tabela abaixo.

Fenabrave não acredita em euforia

O presidente da Fenabrave, Flávio Meneghetti, acredita que as mudanças vão ajudar o setor a recuperar o quadrimestre “perdido”, no entanto, descarta uma possível euforia do mercado, a exemplo do que aconteceu em 2008 e em 2009, quando o governo reduziu o IPI dos carros para sanar a economia brasileira da crise financeira internacional.

“Não acredito em euforia porque o mercado brasileiro está mais maduro”, disse ao G1, nesta segunda-feira, Meneghetti, ao ser questionado sobre a possibilidade de um movimento de antecipação de vendas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CUIDADO
Janeiro Branco e os cuidados com saúde emocional em meio a uma pandemia
SELVÍRIA
Paulista é autuado por derrubada de árvores e incêndio ilegal da vegetação nativa
CORONAVÍRUS
Em 24 horas MS registra 1.316 exames positivos de Covid-19 e 13 mortes
JUSTIÇA
Senacon adotas medidas para combater comércio de vacinas falsificadas