Menu
Busca domingo, 31 de maio de 2020

Fabricante do Viagra compra Botox em acordo de US$ 160 bi

Fabricante do Viagra compra Botox em acordo de US$ 160 bi

24 novembro 2015 - 10h15Por G1
A Pfizer, fabricante do Viagra e do Lipitor, fechou acordo para comprar a fabricante do Botox, Allergan, em transação avaliada em cerca de US$ 160 bilhões. A operação pode criar a maior farmacêutica do mundo em vendas, segundo o "Wall Street Journal".

O complexo acordo, o maior na história do setor de cuidados com a saúde, e o segundo maior da história, segundo a consultoria Dealogic, permitirá que a Pfizer transfira sua sede legal para a Irlanda em uma chamada "inversão", o que deve reduzir o volume de pagamentos de tributos.

O negócio também reinicia o debate na indústria farmacêutica sobre o papel de pesquisa e desenvolvimento, uma vez que presidente-executivo da Allergan, Brent Saunders, prolífico negociador de acordos e cético sobre a descoberta interna de medicamentos, entraria na companhia combinada em posição de influenciar sua estratégia.

O presidente-executivo da Pfizer, Ian Read, de 62 anos, será o presidente-executivo da empresa combinada, com o presidente-executivo da Allergan, Brent Saunders, de 45 anos, trabalhando em uma função sênior e focado em operações e na integração, acrescentaram as fontes.

A operação, aprovada pelos conselhos administrativos dos dois grupos, prevê que as empresas fiquem agrupadas sob a identidade jurídica da Allergan, que será a matriz depois de a Pfizer ser rebatizada, segundo informações da France Presse.

Veja as maiores operações de fusão ou aquisição da história, segundo a Dealogic:

1) Mannesman e Vodafone, US$ 171,9 bilhões, novembro de 1999

2) Allergan e Pfizer, US$ 160 bilhões, novembro de 2015

3) Verizon Wirelles e Verizon Communications, US$ 130 bilhões, setembro de 2013

4) SABMiller e AB Inbev, US$ 148 bilhões, outubro de 2015

5) Time Warner e America Online, US$ 112 bilhões, janeiro de 2000

6) Warner-Lambert e Pfizer, US$ 111 bilhões, novembro de 1999

7) Philip Morris e acionistas, US$ 111 bilhões, janeiro de 2008

8) BellSouth e AT&T, 101 bilhões, março de 2006

9) ABN Amro, Royal Bank of Scotland, Fortis Bank e Santander, US$ 95 bilhões, abril de 2007

10) Mobil e Exxon, US$ 85 bilhões, dezembro de 1998

Deixe seu Comentário

Leia Também

ESPORTES
Pandemia: Pan-Pacífico de natação é adiado de 2022 para 2026
BRASIL
Parques e igrejas de maior porte reabrem no DF na quarta-feira
DURANTEE A PANDEMIA
Saiba quais foram as maiores lives musicais realizadas na internet
CAPITAL
Em operação surpresa, Guarda apreende dezenas de carretéis de linha com cerol