Menu
Busca domingo, 24 de janeiro de 2021

Justiça decreta prisão de casal suspeito de esquartejar adolescente

Justiça decreta prisão de casal suspeito de esquartejar adolescente

29 maio 2012 - 15h50
G1


A Justiça de São Paulo decretou a prisão temporária do casal suspeito de esquartejar a estudante Renata da Silva Monteiro, de 15 anos, e de ter sequestrado o filho dela, com 20 dias - ele foi regatado depois de ser encontrado com vida pela família da vítima. De acordo com o delegado João Valle da Silva Leme, assistente da Delegacia Seccional de Bragança Paulista, o mandado de prisão foi expedido na quinta-feira (24) e o prazo de 30 dias vai começar a contar a partir do momento em que o homem de 32 anos e a mulher de 20 forem localizados e presos.

“Neste momento, o casal é considerado foragido da Justiça”, disse o delegado João Leme nesta terça-feira (29) ao G1.

Renata era mãe solteira e vivia com os pais em São Paulo. A suspeita é irmã de uma colega de escola da vítima que a havia convidado para um almoço no dia 14.

Como não tinham notícias de Renata, seus parentes registraram queixa do desaparecimento da adolescente e de seu filho numa delegacia da capital. No dia 17, o pai da estudante, o pedreiro Raimundo Nonato da Silva Monteiro, de 45 anos, resgatou o neto em Natal (RN), depois de ter recebido informações que ele estaria com a suspeita.

Segundo a Polícia, a mulher, que chegou a falar para parentes que Renata havia lhe dado a criança para criar, fugiu depois. Para a investigação, ela e o namorado queriam ficar com a criança depois de perderem um filho no ano passado. A suspeita teria sofrido um aborto espontâneo.
Segundo os policiais, o casal decidiu matar Renata quando o pai dela encontrou o bebê no Rio Grande do Norte. “A adolescente não concordaria com o sequestro. Ela foi morta para ocultar o sequestro do garoto e não contar nada depois”, disse João Leme. “As investigações indicam que a mulher sequestrou o menino. O homem matou a estudante por meio de asfixia e depois a esquartejou em seguida”.

O corpo de Renata foi achado na quinta-feira em Bragança Paulista, cidade no interior do estado de São Paulo. Partes de seu corpo foram colocadas dentro de duas malas com pedras e jogadas no Lago Orfeu, no Jardim Europa. Mas ao invés de afundarem, boiaram, chamando a atenção dos moradores que acionaram a Polícia Militar.

Exames feitos no Instituto Médico Legal (IML) confirmaram que a vítima era Renata. O corpo dela foi sepultado no domingo (27) no cemitério da Vila Nova Cachoeirinha, na Zona Norte da capital paulista.

De acordo com o delegado, o casal será indiciado pelos crimes de sequestro, homicídio e ocultação de cadáver. “Minha intuição diz que o casal irá se apresentar porque divulgamos os nomes e fotos deles para a imprensa. Além disso, a suspeita fugiu com o namorado e a filha dela, uma menina de 4 anos”.

Nem os advogados nem os familiares do casal foram localizados pelo G1 até as 10h desta terça-feira para comentar o assunto.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Ainda sem aprovação do Orçamento 2021, governo deve controlar gastos
SAÚDE
Estados brasileiros começam a receber vacina de Oxford
SAÚDE
Número de casos de Covid-19 continua alto na maioria das cidades do Estado
NOTÍCIAS
Prêmio Sesc de Literatura abre inscrições para obras inéditas