Menu
Busca quarta, 19 de fevereiro de 2020
FILA

Ministério Público quer barrar contratação de militares pelo INSS

18 janeiro 2020 - 14h00Por G1

O subprocurador-geral do Ministério Público no Tribunal de Contas da União (TCU), Lucas Furtado, pediu nesta sexta-feira, dia 17 de janeiro, ao tribunal que suspenda a contratação, pelo governo, de militares da reserva para atuar no INSS (Instituto Nacional de Seguro Social).

A representação será distribuída a um dos ministros do TCU. Caberá a relator atender ou não ao pedido (leia os argumentos dos procurador mais abaixo).

Procurada, a Secretaria de Trabalho informou que a Advocacia Geral da União (AGU) se manifestará sobre o caso quando for notificada do pedido.

Na última terça-feira (14), o governo informou que irá contratar 7 mil militares para tentar reduzir as filas de atendimento.

Atualmente, cerca de 2 milhões de pessoas estão à espera de uma resposta para obter benefícios.

Argumentos do Ministério Público

No pedido apresentado ao TCU, Lucas Furtado questiona a legalidade da medida. Isso porque, segundo ele, a contratação não poderia ser direcionada apenas a militares da reserva.

"Ao meu ver, não pode haver o direcionamento da contratação para os militares da reserva, pois, nesse caso, é nítida a reserva de mercado que o governo federal está promovendo para remediar o impasse das filas de processos pendentes de análise", afirmou o procurador.

Furtado também argumentou que o militar da reserva não é um funcionário público aposentado e que a disponibilidade dos militares de reserva visa atender a possíveis necessidades das Forças Armadas, não a necessidades de atividades de natureza civil.

Segundo informou o governo, o custo das medidas para acabar com a fila de pedidos no INSS será de R$ 14,5 milhões por mês, valor que inclui a gratificação dos militares – que, por lei, equivale a 30% adicionais sobre a aposentadoria na reserva.

Deixe seu Comentário

Leia Também

LUZ DA INFÂNCIA
Bombeiro preso foi flagrado com 2,3 mil arquivos de pornografia infantil
PRESO EM OPERAÇÃO
Viciado em pornografia, 'preferência' de dentista era vídeos de adolescentes
PROPAGARE
Gaeco mira “cartas marcadas” em licitações de publicidade do governo de Rondônia
ECONOMIA
Câmara dos Deputados aprova MP do Agro; texto segue para Senado