Menu
Busca sexta, 22 de janeiro de 2021

Mulher de Cachoeira é suspeita de tentar subornar juiz em GO, diz PF

30 julho 2012 - 09h40
*Fonte: G1


A mulher do contraventor Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira, Andressa Mendonça, é suspeita de corrupção ativa, segundo informações da Polícia Federal.

De acordo com nota divulgada nesta segunda-feira (30) pela PF, ela é suspeita de tentar oferecer alguma forma de vantagem indevida ao juiz Alderico Rocha Santos, da Justiça Federal de Goiás, com o objetivo de obter decisão favorável a Carlinhos Cachoeira, réu na ação penal referente à Operação Monte Carlo, deflagrada no final de fevereiro deste ano.

Segundo a assessoria de imprensa da PF, até as 10h Andressa continuava em sua casa. Ela deve ser levada para a PF, no Setor Bela Vista, em Goiânia, para prestar esclarecimentos.

De acordo com nota da PF, há um mandado de condução coercitiva expedido pela Justiça Federal, em Goiânia, contra Andressa. Ainda segundo o comunicado, a suposta conduta de Andressa está prevista no artigo nº 333 do Código Penal, que trata de corrupção ativa. Foi cumprido também um mandado de busca e apreensão.

O juiz Alderico Rocha Santos, da 11ª Vara da Justiça Federal de Goiânia, foi quem conduziu a audiência, na semana passada, do processo referente à Operação Monte Carlo, que culminou na prisão do bicheiro no fim de fevereiro. O contraventor e mais sete são réus na ação penal.

O G1 tentou falar com Andressa no celular dela na manhã desta segunda, mas ela não atendeu aos telefonemas até a publicação desta reportagem. Os advogados também não atenderam aos telefonemas.

A Monte Carlo é a operação da Polícia Federal que prendeu Cachoeira sob acusação de exploração do jogo ilegal em Goiás. Após a operação, o Ministério Público Federal de Goiás denunciou 81 pessoas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MS
Em quatro dias, mais de 11 mil pessoas foram vacinadas contra Covid-19 em Mato Grosso do Sul
SAÚDE
Vacinas da AstraZeneca chegam ao Brasil
SAÚDE
Covid-19: Anvisa aprova segundo lote da vacina CoronaVac
CIDADES
Prorrogado por mais 15 dias o toque de recolher no MS