Menu
Busca terça, 14 de julho de 2020

Presidenta pede união do Brics para redução dos riscos da economia global

Presidenta pede união do Brics para redução dos riscos da economia global

16 novembro 2015 - 11h00Por Agência Brasil
A presidenta Dilma Rousseff defendeu neste domingo (15) o compromisso do grupo do Brics, que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, a trabalhar pela redução dos riscos “que a economia global continua a enfrentar”. O encontro dos líderes do bloco antecedeu o início da décima Cúpula do G20, que reúne as 20 principais economias avançadas e emergentes do mundo e vai até amanhã (16).

A presidenta ressaltou que, no âmbito do G20, o Brics deve trabalhar para que os países priorizem os investimentos em infraestrutura, a redução da volatilidade dos mercados globais, a necessidade de reforma das instituições financeiras e o combate à pobreza e às desigualdades como temas importante para os países em desenvolvimento.

Dilma destacou que o grupo do Brics teve resultados “muito expressivos” em 2015 com a concretização do Novo Banco de Desenvolvimento e do Arranjo Contingente de Reservas, que, segundo ela, deve impulsionar a ampliação da agenda de cooperação e a consolidação da parceria econômica do bloco.

A presidenta ressaltou ainda que o Brics “continuará a ser uma força positiva para a retomada do crescimento global nos próximos anos” e reiterou o empenho de tornar realidade os compromissos da reforma do Fundo Monetário Internacional (FMI), assumidos em 2010, “em prol de uma governança econômico-financeira global mais equilibrada e representativa, com maior participação dos países emergentes e em desenvolvimento”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TEMPO
Terça-feira de tempo instável e mudanças no clima
VIOLÊNCIA
Dois são presos por execução de jovem de 21 anos em 'tribunal do crime' de facção criminosa em MS
HÁ 5 DIAS FECHADA
Fronteira fechada entre Brasil e Bolívia em MS gera prejuízo de R$ 1 milhão ao dia, dizem transportadoras
ECONOMIA
Governo zera tarifas de 34 medicamentos usados no combate à covid-19