Menu
Busca quarta, 28 de outubro de 2020

Uso da pílula do câncer é aprovado no Senado mesmo sem registro da Anvisa

Uso da pílula do câncer é aprovado no Senado mesmo sem registro da Anvisa

23 março 2016 - 10h30Por Agência Brasil
Um acordo entre os líderes partidários no Senado permitiu a votação hoje (22) do projeto de lei que garante aos pacientes de câncer o direito de usar a fosfoetanolamina, mesmo antes de ela ser registrada e regulamentada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A substância ficou conhecida como pílula do câncer e está em fase de pesquisas e testes pelo Instituto de Química de São Carlos, da Universidade de São Paulo (USP). Por isso, ainda não recebeu o registro da agência. A pílula atua no organismo auxiliando no combate às células cancerosas. No entanto, embora o medicamento tenha sido distribuído gratuitamente aos pacientes durante anos, uma portaria da USP determinou que substâncias em fase experimental deveriam ter todos os registros antes de ser distribuídas à população.

A suspensão da distribuição da fosfoetanolamina provocou uma "guerra" de liminares na Justiça por parte dos pacientes que dizem se beneficiar do uso da pílula do câncer. O projeto aprovado hoje busca solucionar o problema, liberando o uso da substância mesmo sem o registro da Anvisa.

Para isso, os pacientes deverão apresentar laudo médico comprovando o diagnóstico de câncer e assinar um termo de responsabilidade pelo uso do remédio experimental. Mas, para produzir, prescrever, importar e distribuir a substância, os agentes deverão ser regularmente autorizados e licenciados pela autoridade sanitária competente.

O texto é originário da Câmara dos Deputados e não recebeu alterações no Senado. Antes de sua votação no Senado foi aprovado um requerimento de urgência e um acordo de líderes permitiu a quebra dos interstícios regimentais para a aprovação em plenário ainda hoje. O texto segue agora para sanção da presidenta Dilma Rousseff.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRÁFICO
Polícia Civil incinera mais de meia tonelada de drogas em Nova Andradina
ANTÔNIO JOÃO
Mulher de 67 anos é autuada por criar porco do mato ilegalmente em chiqueiro no quintal de sua residência
CULTURA
Fundação de Cultura prorroga inscrições de três editais até segunda-feira
JUSTIÇA
Passageiro que se atrasou para check-in não tem direito a indenização