Menu
Busca sábado, 19 de setembro de 2020

Audiência Pública proposta pela Vereadora Dulce Manosso foi coroada de sucesso

Audiência Pública proposta pela Vereadora Dulce Manosso foi coroada de sucesso

25 outubro 2011 - 17h10
Divulgação (TP)

Aconteceu no plenário da Câmara de Vereadores de Ponta Porã uma audiência Pública que tratou sobre “Os projetos habitacionais de Ponta Porã”. A audiência foi uma proposição da vereadora Dulce Manosso do PSDB, contou com a presença da secretaria de Assistência Social Doralice Alcântara Mazzei, do gerente Regional da Caixa Econômica senhor Ubiratan Rebouças, dos vereadores Marcos Belo Benitez (PSDB), Daniel Valdez Puka (DEM) e Lourdes Monteiro (PTB).

Vários assuntos relacionados aos projetos habitacionais fora discutidos pelos presentes, sendo que o senhor Ubiratan Rebouças Chaves afirmou que o objetivo maior da audiência é o de dar transparência a todo o processo de seleção do programa Minha Casa, Minha Vida, uma vez que os recursos são escassos e não dá para atender todos os que necessitam.

A Caixa Econômica disponibiliza aos interessados, alem do programa Minha Casa Minha Vida, opções de reforma, construção e até de compra de imóvel usado atendendo, dessa forma, a toda a população de diversas faixas de renda.

Doralice Alcântara, secretaria de Assistência Social do município disse achar válida a reunião uma vez que o papel dos vereadores é exatamente esse, o de fiscalizar atos públicos. Doralice disse que o cadastro único já é adotado em Ponta Porã desde 2005 e com o advento do programa Minha Casa Minha Vida foi verificado que essa medida é para todos os programas habitacionais. “ Para se ter uma idéia, o bolsa família é extraído do cadastro único. Se você tiver programa de segurança alimentar, de cesta básica, assentamento rural, tudo isso é com base nesse cadastro que é nacional” frisou Doralice.

A secretaria falou que o programa Minha Casa Minha Vida agora irá se utilizar do cadastro único e na cidade, esse cadastro está atualizado, pois sempre foi utilizado por determinação da primeira dama, Mere Kayatt e do prefeito Flávio, sendo que atualmente, tem-se aproximadamente 11 mil pessoas cadastradas, uma vez que todas as pessoas atendidas pela secretaria de Assistência Social são cadastradas, alem das 5.600 pessoas que recebem o bolsa família.

A vereadora Dulce Manosso (PSDB) disse que ficou satisfeita com a audiência pública, mas que esperava a participação de mais pessoas porque a habitação em Ponta Porã é um dos grandes problemas. “ Acredito que quem veio será um multiplicador do que ouviram aqui, divulgando os critérios”, ressaltou a vereadora.

Em relação ao número de 11 mil pessoas cadastradas no município, Manosso afirmou que isso vem a reafirmar que nas gestões passadas a política sobre habitação ficou de lado ou na gaveta, não tendo uma política séria de casas populares e a eleição se aproxima, novos candidatos virão e por isso, tem-se que cobrar desses candidatos a prefeitura, a referida plataforma de conjuntos habitacionais com o intuito de que esse déficit seja, pelo menos, reduzido em 30%.

“ Com a utilização do Cadastro Único pela Caixa Econômica, as pes
soas terão que renovar seus cadastros, então aqueles cadastros amarelados de 1999, 2000, não valerão mais e as pessoas terão que estar fazendo o novo NIS (número de identificação social) havendo então, um trabalho social para verificar se a necessidade de moradia é verídica ou não, pois muitas vezes a família tem o filho que casou, mora com os pais, está empregado, trabalhando, esse filho vai atender aos critérios de hoje? Bom, possivelmente, não, pois não é idoso, não é deficiente, não tem filhos ainda”, frisou a vereadora Dulce Manosso.

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOTÍCIAS
Passageiros serão indenizados após falha em realocação da companhia aérea
SAÚDE
Covid-19: ocupação de leitos na rede privada cai para 57% em agosto
ECONOMIA
Dólar fecha em forte alta com incerteza fiscal no radar
FALSO FRETE
Polícia Civil recupera veículo roubado em Dourados