Menu
Busca sexta, 03 de julho de 2020
Polícia

Contratado para demolir casa acha dólares e acaba preso tentando vender no “mercado negro”

30 novembro 2015 - 16h13Por Fonte: douradosnews
Policiais da Derf (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos) conseguiram deter o pedreiro Francisco Soriano de Oliveira, 51, e o sobrinho Daniel Soriano da Silva, 30. Ele furtou dólares de uma casa que foi contratado para demolir e tentava vender o dinheiro no câmbio paralelo.

Segundo o delegado Reginaldo Salomão, uma empresa de construção foi contratada para fazer a demolição de uma casa na Vila Carlota, em Campo Grande, no dia 31 de outubro. O pedreiro percebeu uma parede com fundo falso na cozinha e, ao verificar o que tinha dentro, encontrou os US$ 17,5 mil. De acordo com a polícia, ele guardou todas as notas na sacola de ferramentas e foi embora.

De acordo com o Midiamax, a Polícia Civil recebeu a informação de que alguém tentava vender a grande quantia de dólares no mercado negro e, a partir das investigações, chegou até um dos sobrinhos de Francisco, que confirmou que um primo estava vendendo os dólares com o tio. Os policiais chegaram então até Daniel, que acabou entregando Francisco, já que o tio se negava a dividir o dinheiro e chegou a ameaçá-lo de morte.

Conforme informações da polícia, o dinheiro totalizava aproximadamente R$ 60 mil. Francisco foi localizado e confirmou os fatos. Além disso, ele disse que gastou parte do dinheiro comprando uma Pampa e dando R$ 2 mil para cada um dos quatro filhos. A Polícia Civil conseguiu recuperar aproximadamente metade do dinheiro furtado.

Tio e sobrinho foram ouvidos pela polícia e liberados, mas responderão pelo crime de furto qualificado e também pela venda dos dólares.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRANSPARÊNCIA
MS receberá mais de R$ 215,7 milhões para ações de combate ao coronavírus
NOTÍCIAS
Negado recurso para condenar pai e dois filhos por furto em fazenda
EDUCAÇÃO
MEC anuncia repasse de R$ 200 milhões para universidades e institutos
ECONOMIA
INSS prorroga antecipação do BPC e auxílio-doença até 31 de outubro