Menu
Busca terça, 07 de julho de 2020
Campo Grande

Custo de vida sobe 0,97% na Capital, o mais alto desde 2002

A inflação já supera os 10% no acumulado do ano; projeção é de melhora em meados de 2016

10 novembro 2015 - 12h31Por Fonte: correiodoestado
O Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande (IPC) fechou em 0,97% em outubro, o maior registrado para o mês desde 2002, quando foi de 2,24%. No acumulado dos doze últimos meses, a inflação já ultrapassou os dois dígitos, chegando a 10,32%, o que não acontecia desde 2003 (quando o acumulado no ano atingiu 11,82%). As altas nos preços dos combustíveis foram os principais vilões para alavancar o índice.

O coordenador do Núcleo de Pesquisas Econômicas (NEPES) da Uniderp, Celso Correia de Souza, vê com preocupação a escalada de aumento da inflação na Capital. “É muito negativo (ultrapassar 10%) porque indica que o Governo não está conseguindo produzir efeito positivo com suas medidas econômicas e, com isso, o consumidor acaba sendo lesado”, frisa.

A inflação de 0,97% em outubro é o quinto maior índice registrado na Capital neste ano e ficou 45 pontos percentuais acima que o registrado no mesmo mês de 2014 (0,52%). O acumulado já está bem longe do teto da meta estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), de 6,5%.

O retorno da inflação ao centro da meta estabelecido pelo CMN, que é de 4,5%, só deverá ocorrer em meados de 2016, se as medidas tomadas pelas autoridades do governo forem aprovadas e bem-sucedidas, avalia o economista Celso. O consumidor também vai precisar mudar alguns hábitos de consumo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ORDEM DO DIA
Aprovado direito de incluir nome do cônjuge em faturas
SAÚDE
Mato Grosso do Sul tem 128 mortes por coronavírus e 10.687 confirmados
MS
Inteligência, investimento e integração das polícias consolidam MS como um dos estados mais seguros do País
ECONOMIA
Nascidos em fevereiro podem sacar auxílio emergencial do 3º lote