Menu
Busca segunda, 28 de setembro de 2020

Democratas de Ponta Porã anuncia rompimento com administração Kayatt

Democratas de Ponta Porã anuncia rompimento com administração Kayatt

24 novembro 2011 - 07h55
Redação - Tião Prado

No inicio desta semana, o partido DEM (Democratas) entregou ao secretário de governo da prefeitura de Ponta Porã Léo Dérzi, uma carta relatando que sempre esteve ao lado do executivo desde o ano de 2004 mas que agora, por discordar de algumas medidas que vem sendo adotadas, os Democratas resolveram anunciar o desligamento político com a administração Flávio Kayatt (PSDB), colocando a disposição do prefeito os cargos ocupados, em especial, o de secretário municipal de saúde.

O vereador Daniel Valdez Puka (DEM), falou a nossa reportagem que sendo essa uma posição do partido e por fazer parte do partido, acata a decisão do diretório, ainda mais que o vice-prefeito Eduardo Campos, que também é do democratas, já não tem mais nenhuma ligação com alguma secretaria, sendo assim, as decisões tomadas em relação a administração são feitas pelo prefeito Kayatt, frisando ainda que o próprio prefeito colocou de forma adjunta, uma outra pessoa para administrar a saúde juntamente com o secretário daquela pasta.

“ Vimos que a decisão já vinha sendo tomada pelo executivo, então nós já não fazíamos parte, então decidimos formalizar isso aí através desse documento assinado por todos os membros da executiva”, ressaltou o vereador Puka.

Ramão de Deus, que também é vereador pelo democratas afirmou que o objetivo maior é o fortalecimento do partido para as eleições de 2012. “ Benécias nós nunca tivemos. O que sempre fizemos foi apoiar o prefeito na Câmara Municipal ajudando no crescimento da cidade e com a entrega dessa carta iremos receber orientação do nosso partido, uma vez que somos todos partidários e em conjunto foi decidido que nós nos afastássemos da administração pública, até mesmo pela falta de espaço que o partido vinha enfrentando no governo municipal, deixando o prefeito livre para fazer o que for bom para ele e para o executivo”, disse Ramão de Deus.

O advogado e vice-prefeito Eduardo Campos (DEM) comentou que o partido dos democratas acompanha essa administração desde 2004, vindo contribuindo com essa administração desde então, tendo participação ativa e aos poucos a participação foi se encolhendo, ficando por fim, somente na secretaria de saúde, mas mesmo assim, conforme relatou Eduardo Campos, o DEM ainda continuava atrelado ao PSDB.

“ Mas recentemente, algumas decisões foram tomadas na área da saúde que nós não concordamos, e a nossa secretaria foi perdendo a autonomia, nosso secretario foi perdendo completamente o poder administrativo sobre a sua pasta”, afirmou o vice-prefeito Eduardo Campos.

Outro ponto destacado pelo advogado foi a contratação de uma empresa de consultoria que passou a dar ordens dentro da secretaria, e os democratas não concordaram com essas ordens, uma vez que foi sentido um decréscimo na qualidade do serviço de saúde que vem sendo prestado e junto veio um arrocho salarial aos funcionários do setor. “ E pra finalizar, foi nomeada uma verdadeira interventoria dentro da secretaria de saúde que castrou de vez qualquer possibilidade de ação do nosso secretario”, ressaltou Campos.

Então foi feito gestão junto aos vereadores do democratas no sentido de reverter essa situação, buscou-se a administração para que essa interventoria fosse desfeita, que o contrato de consultoria fosse rescindido, para o partido pudesse retomar a autonomia sobre a secretaria e acima de tudo, conforme afirmou Eduardo Campos, para que o funcionário não fosse sacrificado com essas medidas, mas que o executivo não foi sensível a essas reivindicações.

“ E em reunião, por unanimidade, ficou decidido de que os democratas romperiam de vez com o executivo colocando a disposição do prefeito todos os cargos e dessa forma, a partir desse momento, o democratas não se sente responsável por qualquer ação, principalmente na área da saúde e assume na Câmara Municipal uma posição de independência”, declarou Eduardo Campos.

Procurada por nossa reportagem o prefeito Flávio Kayatt disse que: “Recebo com naturalidade esse rompimento da parceria com o DEM, pois vivemos em um pais democrático, e eles tem que buscar os seus espaços políticos, quanto a mim só tenho a agradecer o apoio recebido nestes quase oito anos de parceria, e vamos aguardar as convenções para que, lá na frente quem sabe possamos caminhar juntos novamente”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍCIA
Comerciante morre em acidente na MS-276
BRIGA
Por conta de dívida, homem e mulher brigam no meio da rua e arremessam um contra o outro blocos de concretos e garrafas
GERAL
Pedidos de educação indígena aumentaram 500%, afirma Funai
POLÍTICA
Campanha das eleições municipais começa neste domingo