Menu
Busca quinta, 29 de outubro de 2020
Detran

Desvio de função e até transferência de multas fazem MP investigar chefe do Detran

25 fevereiro 2016 - 13h35Por Fonte: correiodoestado
O diretor-presidente do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MS), Gerson Claro Dino, é investigado pelo Ministério Público Estadual (MPE) por ser suspeito de praticar pelo menos quatro irregularidades. Procedimento preparatório foi transformado em inquérito civil e servidora do órgão será convocada para ser ouvida.
A 29ª Promotoria de Justiça do Patrimônio Público é responsável pela investigação e o promotor Fernando Martins Zaupa está a frente do inquérito.

Entre as irregularidades denunciadas ao MP estão uso de carro oficial e de servidor comissionado para assuntos particulares, transferências irregulares de multas de trânsito e também o uso do site oficial do Detran para fins pessoais.

A reportagem apurou que uma servidora do órgão será convocada para ser ouvida pelo promotor. A princípio, ela não seria a responsável por denunciar as irregularidades, mas teria proximidade com o presidente e poderia ajudar nas investigações.

O presidente do órgão deve ser notificado sobre a conversão do procedimento em inquérito.
A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa do Detran para retorno sobre as denúncias, mas nenhum posicionamento foi dado até a publicação da reportagem.

OUTRA APURAÇÃO

Na mesma publicação de hoje, o Ministério Público decidiu arquivar outra investigação aberta pelo órgão no fim do ano passado.
Nessa investigação, Gerson Claro e o vice-diretor do Detran eram investigados por arquivar de forma indevida os processos administrativos de condutores penalizados que não teriam cumprido as penalidades. Sem provas suficientes, o MP acabou arquivando a apuração.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CRIME AMBIENTAL
PMA de Corumbá prende e autua em R$ 35 mil cinco pescadores pescando com redes e apreende 314 kg de pescado, embarcação grande, dois barcos, motor e rede
SAÚDE
Saúde lança plano de ampliação da vigilância epidemiológica
GERAL
Denúncias contra direitos humanos podem ser feitas via WhatsApp
POLÍTICA
TSE aprova pedidos de força federal nas eleições para quatro estados