Menu
Busca quinta, 01 de outubro de 2020
Assassinato

Homem que estuprou sobrinho de 5 anos morre em presídio

06 novembro 2015 - 12h33Por Fonte: reporterms
O presidiário Jorge Moraes da Conceição, 57 anos, que morreu em cela do presídio de Corumbá, ontem (5) à noite, estava preso por, supostamente, ter abusado sexualmente do sobrinho, de cinco anos. Ele havia sido detido no último dia 4.

Segundo registro policial, agente penitenciário foi até a cela que era ocupada pelo preso, depois que outros detentos começaram a bater nas grades, para sinalizar que o colega estava passando mal.
Equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionada, mas constatou o óbito ainda no local.

O delegado que registrou a ocorrência, Pablo Gabriel, disse que Jorge tinha problemas cardíacos, inclusive havia passado por cirurgia.

Por isso, acredita-se em morte natural. No entanto, o corpo foi submetido a exames para identificar a real causa da morte.
O preso não tinha marcas de violência.
ABUSO

A violência sexual que Jorge teria cometido contra o sobrinho, chegou à polícia por meio de denúncia do Conselho Tutelar da cidade. Investigações apontaram que ele morava ao lado da casa do sobrinho e, desde o início deste ano, praticava o crime.

O homem dormia em companhia da criança, com consentimento da mãe.
O menino reproduzia em outras crianças gestos que o tio fazia com ele, o que frequentemente ocorre com vítima de estupro, segundo a polícia havia anunciado.

A mãe da criança disse que não acreditava na versão do filho e disse que ele é ”muito mentiroso”.
Jorge havia sido preso em cumprimento de mandado de prisão preventivo. O inquérito é investigado na Delegacia de Atendimento à Infância, Juventude e Idoso (Deaij).

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
CNI: índice de confiança do consumidor permanece em queda
MS
Lei da Liberdade Econômica facilita e empreendedores saem da informalidade durante a pandemia
CAMPO GRANDE
Suspeitos de tráfico de drogas são presos com mais de 500kg maconha
NOTÍCIAS
Plataforma virtual deve devolver valor investido em criptomoeda