Menu
Busca terça, 09 de março de 2021

Força Nacional devolve patrimônio doado pelo Incra e desativa projeto da Base Aérea Itamarati

Força Nacional devolve patrimônio doado pelo Incra e desativa projeto da Base Aérea Itamarati

31 outubro 2011 - 10h45
Folha do Campo - Mercosulnews


Equipe da Força Nacional de Segurança, chefiada pelo capitão PM Iremar Nogueira Charopem, comandante da operação Enafron na região de fronteira do Mato Grosso do Sul, esteve oficialmente na última sexta-feira (28) no Assentamento Itamarati, em Ponta Porã (MS), com a missão de devolver a estrutura que havia sido doada pelo Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) à Senasp (Secretaria Nacional de Segurança Pública).
A devolução tanto das áreas quanto das estruturas físicas foi acompanhada pelo representante do Incra, José Osmar Bentinho. O complexo, incluindo uma área de 34,5479 hectares, foi doado para a Senasp em 20 de abril de 2010 e registrada em nome do órgão, no Cartório de Registro de Imóveis (1º Ofício) da Comarca de Ponta Porã (MS), sob o nº 35.725, no livro 02.

O documento dava direito de uso à Força Nacional de Segurança, além da área, das benfeitorias nela edificadas. Nela está o hangar, construído em alvenaria, piso de concreto estruturado, com área total de 1.570,93 m² e lavador para aeronaves, com área de 225,00 m².

Também há a central de rádio-farol (antena), com área total de 15,00 m²; posto de combustível de aeronaves, com tanque subterrâneo para armazenagem de gasolina de aviação e tanque externo para querosene de aviação, além da pista do aeroporto (aeródromo pavimentado).

A pista de pouso é construída com base de material granular e revestimento asfáltico tipo CBUQ, com 2,04 quilômetros de comprimento e 30 metros de largura com área total de 61.200,00 m², registrada no Manual de Rotas Aéreas (Rotaer), com prefixo SSFI.

Há também o prédio do antigo restaurante, com dois pavimentos, medindo 1.600,00 m². A estrutura doada seria utilizada como base de apoio ao Policiamento de Fronteira (Pfron) e seria também um Centro de Formação Aero Policial, para formação dos pilotos policiais.

A base seria utilizada pela Força Nacional de Segurança e pelas Polícias Federal, Rodoviária Federal, Civil e Militar e deveria contar em sistema de rodízio com até 300 homens e um efetivo fixo de 30 policiais.

Deixe seu Comentário

Leia Também

EDUCAÇÃO
Pré-selecionados do Prouni têm até sexta para comprovar informações
ECONOMIA
União pagou R$ 1,35 bilhão de dívidas de estados em fevereiro
CAARAPÓ
Suspeito de homicídio é preso em flagrante pela Polícia Civil
ECONOMIA
Valor médio de auxílio emergencial será de R$ 250, diz Guedes