Menu
Busca quarta, 20 de janeiro de 2021
Guia Lopes da Laguna

Motorista dirige a 172 km/h em rodovia de MS e tem CNH suspensa

Infração é gravíssima, com multa de R$ 880,41.

03 novembro 2016 - 07h00Por G1
Uma caminhonete foi flagrada a 172 km/h pela Polícia Rodoviária Federal nesta quarta-feira (2) durante operação Finados, na BR-267, próximo a Guia Lopes da Laguna, região centro-sul de Mato Grosso do Sul.

De acordo com a PRF, o veículo estava mais que o dobro da velocidade permitida para a via, que é de 80 km/h. O flagrante foi feito por um radar móvel, aparelho que consegue registrar velocidades a uma distância de 1 quilômetro.

"Quem determina a velocidade são engenheiros, levando em consideração a engenharia de tráfego. Então, quando há uma sinalização, é preciso respeitar. Nesse caso [da caminhonete], a consequência pode ser drástica. A essa velocidade um acidente pode colocar em risco a vida de todos dentro do carro", afirmou Kleryson Loureiro, inspetor da PRF.

A infração é gravíssima. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, o motorista terá a carteira suspensa e vai ser multado em R$ 880,41. A autuação aconteceu com base na nova lei federal, em vigor desde o dia 1º de novembro, que elevou o custo das infrações com o objetivo de conscientizar motoristas a terem mais prudência no trânsito.

"O excesso de velocidade é hoje um dos nossos principais problemas. O motorista precisa ter a consciência do risco desse tipo de infração. Durante essa operação vamos reforçar as rodovias ferais para tentar coibir essa prática", explicou Loureiro.

Infrações

Somente no início da operação, seis pessoas foram autuadas por estarem dirigindo sob efeito de álcool e tiveram as CNHs recolhidas. Na mesma fiscalização, um adolescente foi encaminhado à Polícia Civil por pilotar uma motocicleta na rodovia sem habilitação.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Covid-19: governo lança campanha publicitária de vacinação
LOTERIA
Mega-Sena pode pagar hoje R$17 milhões a quem acertar as 6 dezenas
INTERNACIONAL
Joe Biden toma posse como presidente dos EUA em evento virtual
SAÚDE
Fiocruz admite possível atraso na produção da vacina