Menu
Busca quinta, 04 de março de 2021

Mulheres são presas por agredirem grávida na rodoviária

Mulheres são presas por agredirem grávida na rodoviária

16 novembro 2011 - 13h00
Mercosulnews

Na noite desta segunda-feira (14) a Polícia Militar foi acionada no terminal rodoviário de Ponta Porã, onde estaria ocorrendo uma briga entre três mulheres e que a vítima, J.C.F., de 22 anos, havia buscado refúgio na guarita do ponto de táxi da rodoviária. A PM confirmou a denúncia e deteve as acusadas da agressão, identificadas como sendo as senhoras V.S.R., de 20 anos e E.L.S., de 26 anos.

A vítima foi encontrada em estado de choque e com lesões no rosto e na cabeça, causadas, segundo ela, pelas duas mulheres presas. E.L.S. é esposa do cidadão L.C.R.A., com quem a vítima disse manter um relacionamento amoroso. A jovem disse também que estaria grávida do homem e que os desentendimentos começaram no parque de exposições, durante o Motorcycle.

Os amantes teriam se encontrado no evento motociclístico que estava acontecendo na cidade e isso teria chegado ao conhecimento da mulher traída. Na segunda-feira, a vítima estava no terminal rodoviário quando foi localizada pelas duas mulheres, que decidiram atacá-la com socos e pontapés, usando como arma também um capacete.

Após a chegada da polícia a vítima sofreu um desmaio e teve que ser socorrida por uma amiga e pelo amante, sendo levada até o Corpo de Bombeiros, que a encaminhou ao hospital regional para receber atendimento médico, onde permanece internada.

As agressoras receberam voz de prisão e foram levadas para o 1º Distrito Policial, sem lesões corporais. Uma motocicleta de procedência estrangeira, que estava em poder de uma das acusadas, foi apreendida e removida para o Detran.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Butantan recebe insumos para mais 14 milhões de doses de vacina
ORDEM DO DIA
Deputados aprovam quatro matérias nesta quinta-feira
SIDROLÂNDIA
Indiciado por homicídio de uma adolescente é preso pela Polícia Civil
ECONOMIA
Governo adia para dia 31 reinício de bloqueio e suspensão de benefício
Decisão tem por base efeitos da pandemia