Menu
Busca quinta, 29 de outubro de 2020
Polícia

Policiais de MS recebem 1.331 coletes balísticos

18 maio 2016 - 15h31Por Fonte: noticias
As polícias Civil e Polícia Militar de Mato Grosso do Sul vão receber nos próximos dias 1.331 novos coletes balísticos. Serão distribuídos 866 equipamentos de proteção e segurança individual para a Polícia Militar e 465 para a Polícia Civil.

Os coletes balísticos foram comprados pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp/MJ), por meio do Programa Crack é Possível Vencer. Ao todo são 114 mil coletes, que serão distribuídos para as Polícias Civis e Polícias Militares de todo o Brasil, além da Força Nacional de Segurança.

Do total de 1.331 novos coletes destinados a Mato Grosso do Sul, 200 são femininos e já foram entregues às polícias, sendo 166 para a Polícia Militar e 34 para a Polícia Civil. Os equipamentos integram o primeiro lote de coletes balísticos específicos para mulheres policiais, adquiridos pela Senasp.

São equipamentos mais adequados às medidas femininas, que serão entregues às polícias dos 26 estados brasileiros. No total, a Senasp adquiriu 12.600 coletes femininos, que tem bojo para os seios e é 20% menor e mais leve que o masculino, para se adequar à anatomia feminina, sem perder a capacidade de proteção.

Também devem chegar nos próximos dias a Mato Grosso do Sul, 1.131 novos coletes balísticos masculinos, sendo que 700 serão destinados para homens da Polícia Militar e 431 para os da Polícia Civil de todo o Estado.

O quantitativo de coletes destinados a cada Estado foi estabelecido a partir de consulta aos estados e na Pesquisa de Perfil das Instituições de Segurança Pública, realizada pela Senasp, que traça quadros sobre a situação de efetivo, equipamentos e outros pontos relativos aos órgãos policiais e também de perícia e bombeiros.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SERVIDOR
Governador anuncia promoção de 3,7 mil servidores civis e militares
ECONOMIA
Sancionada lei de incentivos fiscais para montadoras de veículos
POLÍTICA
Mourão diz que posição do governo não é por uma Constituinte
ECONOMIA
Governo pretende economizar R$ 97 milhões com licitação centralizada