Menu
Busca quinta, 22 de outubro de 2020
Polícia

Procurado pela polícia foi registrar queixa e fica preso

20 julho 2016 - 09h45Por 94FM
Quando perdeu os documentos pessoais, André Batista Marques, de 28 anos, morador na Aldeia Jaguapiru, em Dourados, talvez não imaginasse que a história sairia mais cara do que o valor cobrado pela segunda via da Carteira de Identidade. Nesta terça-feira (19), ele foi à Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) registrar um B.O (Boletim de Ocorrência) de extravio e acabou preso.

Em geral, oficializar junto às autoridades a perda de documentos é uma medida de segurança. Por exemplo, fica-se resguardado caso seus registros sejam utilizados por alguém com má intenção que venha a ter problemas com a Justiça e possa incriminar-lhe injustamente. Mas nesse caso, era o próprio comunicante quem as forças policiais procuravam.

Quando sentou-se de frente com a policial civil para registar o B.O de extravio, Marques já tinha contra si dois mandados de prisão expedidos pela Justiça. Um deles pela 1ª Vara Criminal por receptação e o outro, determinado pela 3ª Vara Criminal, por causa do crime de homicídio simples.

Ao ver que no dia 22 de fevereiro o juiz Rubens Witzel Filho expediu mandado de prisão por receptação e no dia 30 de maio o magistrado César Souza Lima também mandou prendê-lo em processo no qual é acusado de homicídio, a policial imediatamente deu voz de prisão para Marques, que foi levado para o interior das dependências do 1º DP (Distrito Policial). O acusado tem extensa ficha policial, com passagens por crimes como violência doméstica e tentativa de homicídio, este último crime do qual também já escapou em certa ocasião.

Deixe seu Comentário

Leia Também

JUSTIÇA
Fux diz que atuação do STF na pandemia está na vanguarda mundial
ECONOMIA
Confiança do comércio volta ao patamar de otimismo após 6 meses
JUSTIÇA
Dono de veículo com irregularidade no gravame será indenizado por danos morais
ECONOMIA
BC aprova 762 instituições para ofertar o Pix a partir de novembro