Menu
Busca quarta, 28 de outubro de 2020
Ponta Porã

Promotor diz que uso irracional de motocicletas deixa clima de guerra civil nas ruas da fronteira

São centenas de vitimas mutiladas ou mortas em virtude da imprudência no trânsito tanto de Ponta Porã quanto de Pedro Juan Caballero

27 abril 2016 - 12h02Por Assessoria
Ao abrir na terça-feira, dia 26, o 1º Encontro de Autoridades de Trânsito Brasil e Paraguai, o promotor de justiça, Gabriel da Costa Rodrigues Alves, disse que o índice de acidentes no trânsito de Ponta Porã e Pedro Juan Caballero, faz transparecer um clima de guerra civil nas ruas da fronteira. Ele relata que atende diariamente familiares de pessoas que precisam de tratamento médico ou de medicamentos, vítimas da imprudência. "Podemos dizer que estamos vivenciando uma situação dramática", afirma.

Sobre a campanha "Motociclista Legal", lançada em outubro do ano passado, o promotor de justiça disse que o objetivo é lembrar que a vida deve estar acima de tudo. "Essa é uma campanha que não se destina a apreender motos, mas conscientizar a sociedade que motocicleta deve ser usada de forma racional, com veículos em boas condições e condutores habilitados. Portanto, se trata de um problema cultural e que não tem como mudar apenas com atitude de brasileiros ou de paraguaios. Temos que estar juntos, trocar experiências para acabar com essa situação dramática", destacou.

O promotor disse que é obrigação das instituições custeadas com recursos públicos a de garantir mais segurança para a população. "Esse trabalho que estamos fazendo não é uma opção, mas nosso dever. Estamos no limite e precisamos iniciar a mudança de comportamento. Quando um turista chega aqui e vê cinco pessoas em cima de uma motocicleta, ele ri. Eu também ria, mas hoje choro ao ver que não temos mais espaços para tantos mutilados, aleijados e mortos, vítimas de acidentes envolvendo motocicletas e condutores irregulares".

Segundo o promotor Gabriel Rodrigues Alves, o uso irracional de motocicletas é um problema gravíssimo, mas pode ser resolvido. "E, nós, do Ministério Público, vamos ajudar no que podemos. Temos apenas que fazer cumprir as leis que foram criadas para promover o bem das pessoas. Não dá mais para tolerar discursos políticos irresponsáveis que ocorreram durante anos e só agravaram o problema. Mas é importante ressaltar que vivemos uma soberania de fronteira e que a aplicação da lei deve ocorrer com razoabilidade", disse.

O 1º Encontro de Autoridades de Trânsito Brasil e Paraguai reuniu organismos de segurança pública do Brasil e do Paraguai, representantes do Departamento Estadual de Trânsito (Detran/MS), da Receita Federal dos dois países, assim como do Ministério Público. Do setor policial participaram a Polícia Militar, Polícia Militar Rodoviária Estadual, Polícia Rodovia Federal, Agentes de Trânsito de Ponta Porã, Polícia de Trânsito de Pedro Juan Caballero e Polícia Nacional do Paraguai.

A CAMPANHA

A campanha "Motociclista Legal" trabalha com o seguinte lema: "Motociclista legal respeita a lei nos dois lados da fronteira". Na primeira fase da campanha que teve início em outubro de 2015, foi feito trabalho educativo nas escolas e empresas; na segunda fase foram realizadas blitz educativas tanto na região central quanto nos bairros e a terceira etapa que acontecerá agora no mês de maio, será feita a fiscalização e aplicação do Código de Trânsito Brasileiro. Os condutores que estiverem irregulares terão suas motocicletas apreendidas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

REGIÃO
Polícia Militar Ambiental de Costa Rica autua em R$ 10 mil e interdita lava jato e borracharia por poluição ambiental
JUSTIÇA
Universidade que descumpriu parcelamento privado deve indenizar estudante
ECONOMIA
Tesouro descarta preocupação com encurtamento da dívida pública
REGIÃO
Pescador profissional e autônomo são autuados em R$ 10 mil por abater dourado e pescar com redes e tarrafa e apreende 50 kg de pescado e petrechos ilegais