Menu
Busca quinta, 21 de janeiro de 2021

17 julho 2012 - 13h30
Mercosulnews

O MPF/MS (Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul) ingressou com ação pedindo a interdição de um posto de combustível no Assentamento Itamarati II em Ponta Porã.

O local foi cedido pelos assentados sem a autorização do Incra (Instituto Nacional de Colonização de Reforma Agrária), que é proprietário da área, sem licitação e licença ambiental.

De acordo com o MPF, o local estava abandonado e foi alugado em 2011 pela AAFI (Associação dos Agricultores Familiares do Assentamento Itamarati) por R$ 3.110 por 10 anos com a renda revertida para a associação e para o empresário.

A ação pede o fim da exploração dos serviços e também a anulação dos contratos que transferiram o patrimônio público para a AAFI e o empresário.

Em 2008 a Superintendência estadual do Incra apresentou relatório apontando que o posto estava em mau estado de conservação e sugeriu a realização de licitação para a escolha de uma empresa para explorar o serviço de abastecimento.

O Instituto autorizou o funcionamento provisório do local e o repassou para a associação, que terceirizou o posto para o empresário. No entanto, o Incra não foi informado sobre o contrato e também não tem sua participação prevista na fiscalização do comércio.

Para o MPF, o empreendimento particular na área do Assentamento Itamarati, mesmo que 'autorizado' por servidores do Incra, não encontra respaldo na legislação, já que não houve licitação e configura apropriação indevida de bem público.

O posto também funciona de maneira clandestina, já que não possui registro obrigatório da ANP (Agência Nacional do Petróleo) e licença ambiental exigida pelo Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente), que trata da localização, construção, instalação, modificação, ampliação e operação de postos revendedores.

De acordo com o relatório do Incra, o mau estado de conservação do posto, com a estrutura antiga e inadequada, oferece sérios riscos ao meio ambiente e aos consumidores.


Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Dólar volta a subir e fecha cotado a R$ 5,36
ECONOMIA
Pedidos de recuperação judicial caíram 15% em 2020
Dados foram divulgados hoje pela Serasa Experian
POLÍCIA
PMA apreende redes, pescado e boias de infratores que praticavam pesca predatória
VALE UNIVERSIDADE
Termos de compromisso devem ser entregues até o dia 28