Menu
Busca sexta, 23 de outubro de 2020
Polícia

Quadrilha que traficava milhões em cocaína tinha esquema "sofisticado"

29 junho 2016 - 12h37Por Fonte: correiodoestado
Desmontada na manhã de hoje pela Polícia Federal, a quadrilha que traficava cocaína para vários estados do país e até fora daqui depois que a droga, de origem boliviana, passava por Mato Grosso do Sul tinha sistema sofisticado para esconder o entorpecente. Os detalhes da Operação Quijarro foram divulgados pela PF de Londrina (PR), onde a ação é comandada.

Segundo o delegado Elvis Aparecido Secco. Doze pessoas foram presas. Os criminosos atuavam com uma frota de 70 veículos, segundo a PF. "Os compartimentos eram acionados por sistema hidráulico e eram muito bem feitos, tanto que parte das apreensões de cocaína só foram descobertas depois de passar por equipamento de raio-x", declarou o delegado.

Para disfarçar a irregularidade, os caminhões transportavam cargas lícitas na tentativa de driblar a fiscalização. Para a Europa, por exemplo, os criminosos costumavam utilizar minério de ferro. Os caminhoneiros sabiam do esquema ilícito, segundo o delegado.

Um casal, responsável pelas operações ilícitas na Bolívia, foi preso no decorrer das investigações, que começaram em janeiro do ano passado. "Esses traficantes estavam foragidos do país e foram identificados a partir de investigações da PF aqui do Brasil. Os dois eram os traficantes mais procurados da Bolívia", acrescentou o delegado Elvis.

A operação foi deflagrada em Londrina e Araucária, no Paraná; Corumbá, no Mato Grosso do Sul; e Martinópolis, Presidente Prudente e capital, em São Paulo.

O ESQUEMA

O principal grupo transportador de drogas atuava em uma sede em Londrina. Esse grupo fazia o transporte da cocaína para fornecedores de Corumbá, na fronteira com a Bolívia, até a cidade de Vinhedo, em São Paulo. No local, a droga era descarregada, colocada em outros veículos e distribuída para os outros países.

A quadrilha costumava movimentar aproximadamente duas toneladas de maconha por mês entre o Brasil e o exterior, segundo a PF.

Um dos detidos em Araucária tem 32 antecedentes criminais e 12 condenações por roubo e furto, segundo o delegado Elvis Secco. O líder da quadrilha Claudinei de Jesus foi preso em Londrina, no norte do estado. O G1 tenta contato com o advogado dele.

Ao longo desse período, a PF apreendeu quatro toneladas de cocaína. Desse total, 1.441 mil quilos foram apreendidos de uma só vez. O volume representa a terceira maior apreensão desse tipo de droga já realizada no país.

Catorze carretas também foram apreendidas, algumas em nome de parentes dos criminosos. Conforme o delegado Secco, a quadrilha fazia isso para driblar ainda mais as fiscalizações.

"Essa era uma tática utilizada principalmente pelo líder da quadrilha. Padrasto, irmão, cunhado, sobrinho, a mulher sabia, a mãe sabia, todo mundo sabia do esquema. Só não foram pedidas mais prisões porque nós queríamos elementos somente para pedir as prisões preventivas e vinculadas a cada transporte", explicou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Resgates superam investimentos no Tesouro Direto em R$ 168,48 milhões
EDUCAÇÃO
Censo mostra que ensino a distância ganha espaço no ensino superior
ECONOMIA
Contas externas têm em setembro sexto mês seguido de saldo positivo
INTERNACIONAL
Brasil e outros 31 países assinam declaração sobre saúde da mulher