Menu
Busca sábado, 23 de janeiro de 2021
Transoceânico

Ramal ferroviário pode ser salvação para ferrovia no MS

Bolívia luta para ser incluída no traçado e trecho chegar a MS

29 outubro 2016 - 10h30Por Correiodoestado
Um ano e meio depois de ser excluído do projeto da ferrovia transoceânica Atlântico-Pacífico, Mato Grosso do Sul volta a entrar na rota do ramal ferroviário – com extensão de cerca de 4 mil quilômetros -- com o "ultimato" dado pelo Governo do Peru para que a Bolívia seja incluída no traçado.

O projeto total prevê investimentos de US$ 50 bilhões e pode reduzir em até 80% o custo de transporte da produção sul-mato-grossense com destino à Asia.

Com a proposta de alteração do traçado, autoridades estimam que permitirá o transporte de 10 milhões de toneladas de carga para 2021 e 24 milhões de toneladas até 2055. Só os bolivianos movem mais de 8 milhões de toneladas de carga entre importações e exportações ao ano.

Um estudo da empresa Consultrans projeta que para 2021 esta nação andina mobilizará cerca de 15,3 milhões de toneladas de mercadoria.

Os planos para construir a linha férrea bioceânica projetam começar no Porto de Santos, passar por Corumbá e entrar na Bolívia por Porto Suárez, seguir pelos municípios de Santa Cruz, Montero e Bulo Bulo até chegar ao altiplano de La Paz. Em solo peruano serão cerca de 1,6 mil km de ferrovia.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Pendências com o Simples atingem quase dois terços das empresas
PONTA PORÃ
Após tentativa de homicídio, Polícia Militar apreende submetralhadora 9mm
SAÚDE
Boletim Covid-19 deste sábado registra óbitos em 12 municípios
REGIÃO
PMA autua dois em R$ 3 mil por abandonar cachorro em estrada