Menu
Busca sábado, 28 de novembro de 2020
CULTURA

Som da Concha Lives apresenta os shows "Cantinhos do Brasil" e "Um dia após o outro"

21 novembro 2020 - 11h30Por Portal MS

O projeto Som da Concha - Lives 2020 promovido pela Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS), apresenta nesse sábado (21), às 18h, o show “Cantinhos do Brasil” com Guto Colato e o trio Cordas de Rua e às 19h, é a vez do músico Gustavo Vargas com o show “Um dia após o outro”. Toda a programação será exibida pelo www.youtube.com/fundacaodeculturamsoficial

O show “Cantinhos do Brasil” nasceu de um desejo pessoal e entusiasta do artista objetivando manter viva a boa música brasileira, por meio da música instrumental, herança de seu avô (in memoriam), com quem Guto Colato aprendeu seus primeiros acordes até amadurecer e chegar as suas composições e trabalhos; o músico vem se aperfeiçoando no violão e guitarra brasileira, bem como no universo do “jazz”, temas em que estão presentes à sofisticação harmônica, rítmica e melódica.

Para o Som da Concha, o músico e seu trio “Cordas de Rua” apresentam um show ousado e bastante versátil, denominado "Cantinhos do Brasil", onde tocam um repertório diversificado, permitindo ao público conhecer ou reconhecer a diversidade das culturas e a versatilidade da nossa música brasileira; uma apresentação que é um passeio pelo Brasil contendo levadas de baião, frevo, bossa nova, samba, choro, choro-canção, forró, toada e valsa-mineira, ou seja, a música instrumental brasileira que integra o circuito cultural das grandes metrópoles do Brasil e no mundo.

Guto Colato com seu trio "Cordas de Rua” tem a seguinte composição: Guto Colato (violão e guitarra); Luiz Pacheco (contrabaixo); Alvani Calheiros (sopro e scaleta) e Marcus Loyola (bateria). O músico-instrumentista também apresentará uma composição autoral, em homenagem ao seu avô e a influência da música do mineiro Toninho Horta, canção está que fará parte de seu primeiro disco instrumental, intitulado “Pés na Estrada”, o qual prevê seu lançamento para o próximo ano. Guto Colato e seu quarteto trazem arranjos inéditos de obras de renomados compositores brasileiros, como Bené Gomes, Geraldo Vandré, Sivuca, Tom Jobim, Dominguinhos e outros, demonstrando as características do violão e guitarra brasileira, com suas harmonizações, levadas e improvisação.

Gustavo Vargas (Trindade Photografy)

Já o show “Um dia após o outro” do músico Gustavo Vargas irá apresentar composições autorais de seu álbum lançado em 2014 intitulado “Era para Ser” e músicas de outros autores que percorreram esses 21 anos de carreira. O show terá a participação dos músicos Weslley da Silva, Davi Galvão, Sergio Henrique, Daniel Magela e será irreverente e bem-humorado com alguns pontos dramáticos, assim uma experiência quase teatral para o espectador.

Gustavo Vargas atua há mais de duas décadas no ramo de apresentação musical nos estados de Mato Grosso do Sul e Paraná, com o melhor da MPB de nosso estado em qualidade de execução. Além de músico, é ator registrado pelo Sindicato de Atores e Técnicos em Espetáculos e Diversões do Paraná (SATED-PR), atuou como professor no Cena Hum (Curitiba-PR) e participou de vários espetáculos teatrais e musicais na mesma cidade.

Em Campo Grande, atua em bares, festas, restaurantes, casas noturnas, eventos corporativos, formaturas, casamentos e comemorações. Seus estilos abrangem desde a MPB mais clássica até o Pop Rock, Reggae, Forró, Samba, Internacional, Música Francesa e outros ritmos. Seu modo de atuação varia os ritmos de acordo com a plateia, enquanto está vai respondendo ao artista qual estilo ela prefere, criando assim um repertório improvisado e personalizado àquele público, propiciando ao espectador uma experiência única, que não se repete. A intenção é sempre permitir que o cidadão saia de sua rotina e crie situações internas de vivência emocional que o retire do lugar comum, da repetição exaustiva do cotidiano, que em épocas de (pós) pandemia são extremamente estressantes e, sem a catarse de descarga desses acúmulos, gerando instabilidade social e psíquica de nossa comunidade.

Som da Concha – O projeto criado em 2008 pela Fundação de Cultura proporciona shows aos finais de semana com entrada franca na Concha Acústica Helena Meirelles, que fica no Parque das Nações Indígenas. O projeto valoriza e difunde a produção musical sul-mato-grossense, selecionando músicos instrumentistas ou cantores solos, bandas ou grupos musicais residentes em Mato Grosso do Sul.

Serviço – Devido a pandemia do Covid-19, a edição 2020 do projeto acontece por meio de lives pelo www.youtube.com/fundacaodeculturamsoficial.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

MEIO AMBIENTE
PMA de Jardim e Bonito fiscalizam o rio Miranda e da Prata e apreendem petrechos ilegais à pesca
BOLETIM COVID
Capital registra 1.178 novos casos nas últimas 24 horas
CULTURA
Blues e Rock embalam as lives do Som da Concha deste fim de semana
BOLSA FAMÍLIA
Beneficiários do programa receberão em poupança digital