Menu
Busca segunda, 21 de setembro de 2020
Ponta Porã

Trabalho de conscientização no trânsito encerra o ano com “rave”

Trabalho de conscientização no trânsito encerra o ano com “rave”

03 dezembro 2015 - 07h15Por Assessoria


Durante este ano a Secretaria Municipal de Segurança Pública em parceria com a Secretaria Municipal de Educação desenvolveram vários trabalhos voltados para a conscientização no trânsito. O objetivo foi de levar para as escolas informações a respeito de qual deve ser o comportamento de pedestres, ciclistas e condutores de veículos automotores nas ruas. O encerramento dos trabalhos ocorreu nesta terça-feira em evento no Centro Internacional de Convenções “Miguel Gomez” e que contou com muita emoção através do depoimento de um casal que perdeu um filho jovem, vítima de um brutal acidente de trânsito em Ponta Porã.

No evento desta terça-feira, além de autoridades municipais e educadores, marcaram presença os alunos do ensino médio das Escolas Estaduais Miguel Marcondes e Joaquim Murtinho. A mesa que dirigiu os trabalhos foi composta pelo secretário municipal de Segurança Pública, Ulisses César Alcarás; pelo coordenador da Guarda Civil Municipal, Wilson Larroque; sub-tenente Osmar, comandante do pelotão de trânsito do 4º Batalhão de Polícia Militar; Amanda Kreher, da agência do Detran/MS em Ponta Porã; e professora Célia Ruiz Nunes de Oliveira, da Escola Miguel Marcondes.

Ao fazer a abertura do evento, Alcarás destacou as diversas atividades desenvolvidas durante o ano no sentido de promover a conscientização dos usuários do trânsito. Ele destacou a parceria com a Secretaria de Educação, com o Detran, com o 4º Batalhão de Polícia Militar, Ministério Público Estadual e com os Centros de Formação de Condutores, além das autoridades paraguaias, que sempre estão desenvolvendo ações
preventivas conjuntas.

“Nesta ‘rave’ vamos fazer uma retrospectiva de tudo aquilo que realizamos, sempre buscando melhorias para
que possamos ter um trânsito harmonioso. O trânsito é uma preocupação mundial, tanto que a Organização
Mundial da Saúde – OMS – definiu a década 2011/2020 como a de luta para reduzir a violência no trânsito. Em 2009 em todo o mundo foram registradas 1,3 milhão de pessoas mortas no trânsito, deixando 50 milhões de pessoas com seqüelas para o resto da vida. Cerca de 3 mil pessoas perdem a vida diariamente nesses 178 países e essa violência gera gasto de 518 bilhões de dólares americanos por ano. E o Brasil é o 5º país em números de violência no trânsito e precisamos melhorar isso”, disse.

O secretário disse que o prefeito Ludimar Novais apóia as iniciativas visando a redução da violência no trânsito. “Tanto que criou a Guarda Civil Municipal e a coordenadoria municipal de trânsito. Com os agentes municipais de trânsito foi reforçado o trabalho de fiscalização, já que em 2014 a Polícia Militar contava com um efetivo muito pequeno na fronteira. Juntos e com a mesma competência, a PM e a Guarda Civil estão atentas na fiscalização e fazendo a prevenção. Melhoramos muito, mas ainda é preciso muito mais, principalmente na questão de garantir melhor mobilidade urbana. O prefeito Ludimar Novais está desenvolvendo projeto de reordenamento do trânsito na área central e isso vai melhorar ainda mais. Mas nada disso terá eficácia se não houver a conscientização do cidadão”, ressaltou.

Um dos momentos mais emocionantes foi o depoimento dos pais do jovem Rafael Mendes Espíndola, de 19 anos, morto em um acidente na noite do último 9 de junho, às 19 horas, na rua Calógeras, próximo ao centro de Ponta Porã. Ele foi atropelado por um veículo que estaria sendo conduzido por um motorista embriagado. Além de ser atropelado o corpo foi arrastado e em seguida o autor fugiu sem prestar socorro.

O pai, Artêmio Givago Espindola, pediu justiça. Ele disse que já foi várias vezes na delegacia de polícia, cobrou da corregedoria e da promotoria, mas até agora o autor do acidente está solto. “Existe uma morosidade muito grande da justiça. É preciso punir um cidadão que dirige alcoolizado um veículo numa velocidade acima de 130 km/h em pleno centro da cidade. Ele matou e arrastou meu filho sem prestar socorro. Precisamos de mais rigor para que outras injustiças não ocorram no trânsito da nossa cidade”, disse.

A mãe de Rafael, totalmente emocionada, comoveu a platéia ao falar do filho. “Ele tinha sonhos, projeto de vida. Era um rapaz trabalhador, estudioso e que queria ser policial federal. A criação da Escola de Trânsito pelo prefeito Ludimar Novais é um projeto importante e quero agradecer essa iniciativa. Com a conscientização das nossas crianças, aprendendo na escola o que é certo ou errado, vamos evitar que muitos sonhos sejam interrompidos e vidas ceifadas”, ressaltou aos prantos. A primeira Escola Municipal de Trânsito de Mato Grosso do Sul, criada em Ponta Porã, foi batizada de Rafael Mendes Espíndola.



Deixe seu Comentário

Leia Também

CASSILÂNDIA
Polícia prende bandidos e impede assalto que ocorreria em agência bancária de MS nesta segunda-feira
ÁGUA CLARA
PRF apreende 631 Kg de maconha
JUSTIÇA
Barroso: ceticismo com mudança climática é obstáculo a ser superado
BRASIL
Governo lança cartilha para crianças com autismo