Menu
Busca sábado, 28 de março de 2020
Leilão

Último dia para vistoriar veículos do leilão da prefeitura é segunda-feira

09 novembro 2015 - 14h12Por Fonte: douradosnews
Termina nesta segunda-feira (09) o prazo para vistoriar os veículos que estão disponíveis no leilão da Prefeitura de Dourados Os interessados em olhar as unidades antes de adquiri-las devem se dirigir aos locais.

O horário é das 8h às 11h30. Os veículos estão divididos em dois locais: na rua Coronel Ponciano, nº 2.092, no Estádio Fredis Saldivar (Douradão); e na Oficina da Prefeitura na rua Rio Brilhante, s/n, bairro Chácara Trevo (próximo ao trevo da Bandeira).

O leilão será no dia 12 de novembro às 9h no Plenário José Cerveira no CAM (Centro Administrativo Municipal), localizado na rua Coronel Ponciano, nº 1.700, bairro Parque dos Jequitibás. O certame será conduzido pelo Leiloeiro Oficial e Comissão Especial de Alienação e Avaliação de Bens Móveis.

Essa ainda é do tipo “maior lance” e por lotes. Nesses estão inclusos motonetas, motocicletas, carros, ambulância, rolo compactador, pá carregadeira, caminhão pipa, caminhão, caminhoneta e trator agrícola. Os lotes têm lances iniciais que vão de R$ 533,33 a R$ 19 mil.

Podem participar pessoas físicas ou jurídicas maiores de 18 anos ou emancipadas. No ato da arrematação, o interessado fará um credenciamento perante o leiloeiro mediante a apresentação de documentos estabelecidos em edital.

O documento com todos os detalhes sobre o leilão está disponível no site da prefeitura (www.dourados.ms.gov.br) ou pode ser retirado direto no Departamento de Licitação, localizado no Bloco F do CAM. Mais informações ainda podem ser obtidas pelo telefone (67) 3411-7939.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Coronavírus: Brasil tem 92 mortes e 3,4 mil casos confirmados
MS
Governo do Estado reforça que adiamento de prazo é para adesão ao Refis do ICMS
POLÍCIA
Homem é preso com mais de 300 kg de maconha dentro de veículo em MS
NOTÍCIAS
Maia diz que ajuda do governo para empresas pagarem salários é 'tímida' e 'não vai resolver nada'