Menu
Busca sábado, 05 de dezembro de 2020

Eliminado do BBB diz que não é homofóbico

Eliminado do BBB diz que não é homofóbico

15 fevereiro 2012 - 15h40
Quem

João Maurício, que foi eliminado da casa mais vigiada do país, nesta terça-feira (14), com 52 % dos votos, conversou com QUEM após perder para Jonas no paredão. O brother disse que não faria nada de diferente. “Tentei ser eu mesmo, fui sincero. Valeu a pena a experiência. Aprendi a aceitar as diferenças dos outros. Com o João (Carvalho) foi assim”, argumentou.

O pecuarista disse que, para ele, foi uma experiência única. “Fantástico para mim. O prêmio, lógico, é bem relevante tanto para mim quanto para qualquer outro participante. Não entrei no BBB por vaidade, eu estava em uma festa, em Anápolis (próximo a Goiânia, GO), e alguns olheiros me chamaram para participar da seleção do BBB”, explicou. Ele ainda falou sobre a rixa entre os grupos formados na casa. “Está difícil para a Praia virar o jogo contra a Selva. Nem a sorte está dando jeito”, brincou.

Sobre não se envolver com nenhuma mulher da casa, disparou: “Foi uma escolha minha porque tenho uma pessoa aqui fora, a mãe do meu segundo filho”. Ele ainda comentou que, o meio em que vive, é conservador, e não sabe como vai ser recebido. Mas não tem pretensão direta em ser artista: “Se uma porta se abrir e me interessar, quem sabe?”. Mas negou: “Nem pensar”.

O ex-BBB ainda disse que nunca foi viciado no programa, mas a edição que mais acompanhou foi a de número 7, cujo vencedor foi Diego Alemão. “Me identifiquei muito com ele, com a forma de jogar e a postura dele dentro do jogo”.

João Maurício ainda disse que fala muito porque gosta das coisas “beeem” explicadas para que não haja margem para que sejam deturpadas. “Confesso que, em alguns momentos, quero que minha opinião prevaleça. Mas todo mundo é assim, né? Se me convencer com argumentos de que estou errado, eu vou reconhecer”.

Dono de fazenda
“Nunca escondi o que tenho, por mais que isso pudesse ser negativo. Até porque o BBB, se fosse assim, o escolheria o vencedor pelo imposto de renda, de quem fosse o mais coitado. O prêmio não mudaria a minha vida, mas acho que poderia mais conforto (para a família): um novo apartamento, um novo carro, essas coisas”.

Paredão com o Jonas
“Para mim, ir com o Jonas, é óbvio, foi pelo entrosamento do outro grupo. Não saí magoado de forma alguma. É claro que torço pelo Fael e pelo Jonas para ganharem o prêmio (de R$ 1,5 mi)”.

Falsidade
“Só avistei pessoas falsas (na casa). Eu nunca me aproximaria de alguém para evitar um voto. E foi o que vi em mais de uma pessoa tendo esse comportamento. Com o João Carvalho, por exemplo. Ele tinha todo o direito de votar em mim, mas eu não gostei de ele falar que não faria e, depois, foi votar”. Sobre a implicância do xará, comentou: “O que ele sentia era que não tinha afinidade com ele. E não é porque ele era o cozinheiro da casa que me ia me aproximar dele”.

Homofobia
O ex-BBB negou a acusação de ser homofóbico: “Nunca fui, tanto que dormi com ele (João Carvalho) acorrentado. Só me incomodei com o ronco dele. A única coisa que disse na casa foi que não iria para o quarto do líder, dormir com outros homens. Acho que não tem nada a ver. Dentro da casa, ainda falei: ‘Os gays são as melhores pessoas para serem amigas’”.

Renata e Monique
“Não acho que o Jonas seja gay. Acho que, quando uma mulher não tem o retorno correspondido, elas falam essas coisas”. Antes do paredão, ele e Renata se envolveram em uma discussão quando estavam comentando sobre paredões passados, combinações de voto, e falou pra ela: “Acho que você se aproximou do Jonas para ter menos um voto. O Ronaldo mal botou o pé para fora da casa, e ela já se reaproximou do Jonas, sendo que eles estavam muito afastados”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SEGURANÇA PÚBLICA
Apreensões de drogas batem recorde em Mato Grosso do Sul e ultrapassam 707 toneladas em 2020
POLÍCIA
Brasileiro e filha de 9 anos morreram em atentado na fronteira
Ele foi preso durante investigações do assassinato de Wescley em 2018
POLÍCIA
Bombeiros retomam buscas por menino de 8 anos que desapareceu em córrego
MEIO AMBIENTE
Governador Reinaldo Azambuja pleiteia FCO do Pantanal para recuperar prejuízos com queimadas