Menu
Busca quinta, 27 de junho de 2019
SAÚDE

Em uma década, MS já tem 6° ano com maior número de mortes por gripe

31 maio 2019 - 15h00Por Vinicios Araújo/Dourados News

Mato Grosso do Sul já registrou 10 mortes por gripe este ano. Desde 2009, este é o 6° período no ranking de óbitos pela doença, causada pelo vírus influenza.

Em Dourados, dois pacientes já morreram com diagnóstico de síndrome respiratória aguda grave, porém provocada por outro tipo de vírus.

Os dados são da Secretaria de Estado de Saúde. Conforme apontado no levantamento realizado na última década, o ano com maior índice de mortes por influenza foi em 2016. Na época o Estado confirmou 103 mortes — 95 por H1N1, 1 influenza A subtipado e 7 influenza B.

Dois anos depois um novo marco: em 2018 o Estado contabilizou 33 mortes por gripe — 11 casos de H1N1, 12 por influenza A/H3 sazonal, 4 influenza A subtipado e 6 casos por influenza B.

Confira outros dados:

Os municípios onde as mortes por influenza foram registradas são: Três Lagoas, com 5 óbitos, e Corumbá, Aquidauana, Inocência, Rio Verde de Mato Grosso e Campo Grande com uma morte cada. A média de idade das vítimas é de 60 anos.

Dourados possui dois registros de morte, porém não por influenza, mas sim por SRAG (síndrome respiratória aguda grave), provocada por outro tipo de vírus que não foi descrito pelo Núcleo de Epidemiologia da SES.

A campanha de vacinação contra gripe termina hoje para os grupos prioritários. São eles: crianças até cinco anos e gestantes, mulheres que deram à luz recentemente, trabalhador de saúde, professores, povos indígenas, idosos com 60 anos ou mais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade que cumpram medidas socioeducativas, além de presos, funcionários do sistema prisional e pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais.

Segundo o núcleo de imunização da Prefeitura de Dourados, 82% da meta de 76,6 mil pessoas já foi atingido. Os grupos mais deficitários, aqueles que menos se imunizaram, foram crianças e trabalhadores da saúde. Indígenas também tiveram baixo índice de vacinação.

Até às 17h de hoje esses grupos podem estar buscando os postos de saúde para garantir a aplicação da vacina.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

CONTRABANDO
Após fuga, casal que transportava R$ 90 mil em eletrônicos é capturado
ESPORTE
Brasil abre amanhã contra Paraguai as quartas de final da Copa América
POLÍCIA
Laudos confirmam abusos contra crianças e professora de creche é presa
TERRAS
Índios de MS fazem vigília no STF para defender demarcação em Caarapó