Menu
Busca quarta, 05 de agosto de 2020
AEDES AEGYPTI

Homem de 30 anos é a 1ª vítima da dengue neste ano na Capital

14 janeiro 2020 - 08h00Por Dourados News

Um homem, de 30 anos, morreu neste domingo, dia 12 de janeiro, no Hospital da Unimed, em Campo Grande, depois de ter contraído dengue. É a primeira morte provocada pela doença na Capital em 2020.

A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública) já fez a contraprova do exame no Lacen (Laboratório Central), confirmando a doença. Segundo a pasta, os primeiros sintomas foram apresentados ainda no dia 30 de dezembro do ano passado.

Segundo o site Campo Grande News, o rapaz, morador do Bairro Nova Campo Grande, região oeste da Capital, foi internado no dia 7 de janeiro com insuficiência hepática e renal.

Mutirão realizado por agentes da Sesau no fim de semana vistoriou pelo menos 452 imóveis fechados ou em situação de abandono em busca de criadouros do mosquito Aedes aegypti.

Esta pode ser a segunda morte da doença em Mato Grosso do Sul. No dia 9, Lucian Andrade, de 29 anos, morreu na Santa Casa de Corumbá, distantes 416 km de Campo Grande, com suspeita de dengue grave, porém a SES (Secretaria de Estado de Saúde) trata o caso como suspeita.

Mato Grosso do Sul encerrou 2019 com 29 mortes provocadas pela doença. Campo Grande e Dourados haviam registrado oito mortes cada. Em Três Lagoas foram mais três óbitos, seguido por Coxim, com dois casos confirmados. Maracaju, Ponta Porã, Corumbá, Costa Rica, Amambai, Miranda e Cassilândia registraram uma morte cada.

Durante todo 2019, o Estado registrou 66.634 notificações da doença, maior índice nos últimos seis anos, com 40.362 casos confirmados.

Deixe seu Comentário

Leia Também

RIO BRILHANTE
Mais de 800 mil reais em iPhones foram apreendidos pelo DOF durante a Operação Hórus
NOTÍCIAS
Portaria altera regras de identificação pessoal pelo Detran-MS
RIBAS DO RIO PARDO
Polícia Civil prende suspeito de receptar sela furtada em fazenda
CRIME AMBIENTAL
Polícia Militar Ambiental e Marinha de Corumbá interditam construções às margens do rio Paraguai e autuam infratores em R$ 2 mil