Menu
Busca domingo, 24 de janeiro de 2021

Bicampeão defende tática da Ferrari, mas diz que vantagem aberta no começo da prova não foi suficiente

Bicampeão defende tática da Ferrari, mas diz que vantagem aberta no começo da prova não foi suficiente

09 julho 2012 - 08h40
Uol

Fernando Alonso fugiu da tática convencional no início do GP da Grã-Bretanha, realizado neste domingo, e começou a prova em Silverstone com pneus duros, ao contrário de todos os outros pilotos que formavam as primeiras posições.

A estratégia parecia acertada no começo da prova, quando o espanhol confirmou sua pole position na largada e abriu mais de cinco segundos com relação a Mark Webber no primeiro trecho.

Contudo, a situação virou quando o bicampeão teve de usar os compostos macios na última parte. A borracha de identificação amarela da Pirelli provocou uma sensível queda de rendimento no carro da Ferrari e Alonso não conseguiu segurar o ímpeto do australiano, que descontou rapidamente a diferença e tomou sua posição nas voltas finais.

Em segundo no fim da prova, Fernando defendeu a escolha da equipe e disse que a intenção era adiar ao máximo a mudança para os macios, já que havia chances de chuva durante a prova.

“Nossa escolha foi determinada pelo ritmo no terceiro treino livre, o único momento em que pudemos andar com a pista seca. Nossa confiança estava maior com os pneus duros, então essa era nossa escolha preferencial”, explicou.

“Poderia chover em qualquer momento da corrida, aí colocaríamos os intermediários e não precisaríamos usar mais os macios. Portanto, era uma melhor combinação de possibilidades”, argumentou.

Segundo Alonso, o problema não foi o desgaste excessivo do composto, mas sim a mudança que ele provocou no comportamento da F2012, gerando uma queda sensível de rendimento.

“Eu estava confiante com relação aos pneus, para ser honesto. Felipe [Massa] usou os pneus macios por 14 voltas no primeiro trecho, com um carro pesado. Portanto, eles deveriam funcionar bem por 14 voltas com um carro leve no fim da corrida”, disse.

“Mas eu fiquei lento e comecei a sofrer com uma traseira mais solta. Houve mudanças no balanço do carro que prejudicaram o desempenho e me deixaram bem mais lento”, lamentou.

Ainda de acordo com o bicampeão espanhol, a Ferrari já previa um ritmo pior caso com a borracha amarela, mas esperava que a vantagem adquirida nos primeiros trechos fosse suficiente para assegurar a vitória.

“Sabíamos mais ou menos que os macios eram mais lentos e, quando abrimos a vantagem nos dois primeiros trechos, estávamos com pneus diferentes de Mark e sabíamos que ele se aproximaria no final. Mas a vantagem que abrimos no começo não foi suficiente.”

Para Alonso, o único erro na tática foi não esticar mais o momento do primeiro pitstop. “Acho que o número de voltas do trecho intermediário foi correto, mas talvez poderíamos ter estendido o primeiro trecho por mais algumas voltas”, avaliou.

Mesmo com o segundo lugar, Alonso manteve a liderança do campeonato com 129 pontos, 13 a mais que Webber.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Pendências com o Simples atingem quase dois terços das empresas
PONTA PORÃ
Após tentativa de homicídio, Polícia Militar apreende submetralhadora 9mm
SAÚDE
Boletim Covid-19 deste sábado registra óbitos em 12 municípios
REGIÃO
PMA autua dois em R$ 3 mil por abandonar cachorro em estrada