Menu
Busca quarta, 30 de setembro de 2020

Luxemburgo: "não quero Ronaldinho para namorar minha filha"

Luxemburgo: "não quero Ronaldinho para namorar minha filha"

03 fevereiro 2012 - 15h46
Terra

A relação conturbada entre Vanderlei Luxemburgo e Ronaldinho foi decisiva para a saída do treinador, fato admitido até mesmo pela presidente do Flamengo, Patrícia Amorim. Nesta sexta-feira, no Rio de Janeiro, o técnico evitou polêmicas com o astro rubro-negro, mas reconheceu que sua saída ocorreu por questões além do futebol.

Confira o vai e vem do Mercado da Bola para 2012

"Estou saindo por problemas extra campo. Em termos de resultados, o objetivo foi cumprido", afirmou o técnico. Entre os problemas, estariam o fato de Ronaldinho ter dormido no treinamento na pré-temporada em Londrina e também porque teria levado uma mulher para a concentração do Flamengo.

Luxemburgo lembrou que teve dificuldades com jogadores no passado e que nenhum deles virou "pastor". Segundo ele, toda vez que um dirigente se posicionou e fez "valer a hierarquia", seus resultados foram bons.

Sobre Ronaldinho, frisou que sua relação com ele era "profissional". "Não quero o Ronaldinho para namorar minha filha. Quero que ele cumpra as obrigações dentro de campo. Estava sendo tolerante, e decidi que tinha que mudar este ano", declarou.

O problema dos salários atrasados não foi esquecido pelo treinador. Ele lembrou que os jogadores chegaram a cogitar uma greve em função disso, e que agiu para debelar o movimento.

Luxemburgo fez questão de enaltecer o atacante Deivid, que entrou na Justiça por ter 19 meses de pagamento de direitos de imagem atrasados. "Ele sempre foi profissional, e não recebe desde que chegou ao Flamengo. No clube, viram para ele e dizem que não o pagam porque ele foi contratado pelo Zico. Peço aos torcedores que não vaiem o Deivid", apontou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Justiça Federal manda soltar acusados de invadir celular de Moro
ECONOMIA
Antecipação do INSS poderá ser pedida sem limitação de distância
ECONOMIA
Déficit primário do Governo Central atinge R$ 96,1 bilhões em agosto
NOTÍCIAS
1ª Câmara Cível considera regular a devolução de bem à revendedora