Menu
Busca terça, 01 de dezembro de 2020

Acima do bem e do mal, Boninho não dá satisfações ao público

Acima do bem e do mal, Boninho não dá satisfações ao público

17 janeiro 2012 - 08h07
Uol

De todos os erros que o diretor Boninho cometeu nas últimas 48 horas, o único que ele evitou foi o de atuar como se fosse polícia ou Justiça. Escapou desta cilada ao não acusar Daniel de ter cometido algum crime.

Mas agiu novamente como se o “BBB” estivesse acima do bem e do mal, como se acreditasse, de fato, no apelido que lhe deram, o “Big Boss”. “Depois de criteriosa avaliação, a direção do programa entendeu que sim, o comportamento de Daniel na noite da festa foi motivo de eliminação”. E pronto.

Nenhuma informação além dessa. Nada. Pedro Bial dedicou 14 segundos na abertura do programa para dizer que Daniel era “suspeito de ter infringido as regras do programa” e precisou de mais 33 segundos, ao fim do primeiro bloco, para avisar que o candidato dançou.

Que regras são essas? Como foram infringidas? Por que foi necessário fazer “criteriosa avaliação”? Daniel teve chance de se defender? O que disse Monique?

Não vou me estender nas perguntas que ficaram sem resposta. Encheriam uma página, pelo menos. A reação do diretor Boninho me lembrou o regime imaginado por George Orwell em seu “1984”, onde nasceu o verdadeiro “Big Brother”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TEMPO
Dezembro traz chuva e aumento na umidade do ar
ARAL MOREIRA
Homem é encontrado carbonizado e com marcas de tiros no corpo
Motocicleta com placas do Paraguai também foi queimada
IGUATEMI
Homem morre vítima de tiro acidental na cabeça durante pescaria
Jair Ruzzene, de 56 anos, se apoiou em cano de espingarda quando arma disparou e o atingiu
MARACAJU
Veículo com quase meia tonelada de maconha foi apreendido pelo DOF