Menu
Busca segunda, 28 de setembro de 2020

Advogados do MS participam da Marcha Contra a Corrupção e Defesa do CNJ

Advogados do MS participam da Marcha Contra a Corrupção e Defesa do CNJ

06 outubro 2011 - 08h32Por Assessoria
O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil/Seccional de Mato Grosso do Sul (OAB/MS), Leonardo Duarte, conclama todos os advogados e cidadãos sul-mato-grossenses a participarem da Marcha Contra a Corrupção e a Impunidade. A Marcha Contra a Corrupção e a Impunidade, em sua segunda edição, será realizada na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, no próximo dia 12, quarta-feira.

O presidente do Conselho Federal da Ordem, Ophir Cavalcante, estará presente no evento e registrou “que esta será uma marcha apartidária, ressaltando que o interesse principal da OAB em estar presente é defender a cidadania”.

A marcha terá início às 10h, saindo do Museu Nacional rumo à Praça dos Três Poderes. A OAB de Mato Grosso do Sul convoca todos os advogados do Estado a participarem da marcha; ela é de extrema importância para o aperfeiçoamento do sistema judicial.

Defesa do CNJ

Um dos temas que a OAB/MS levará como bandeira para a Marcha é a defesa da manutenção do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) como órgão competente para examinar processos e punir magistrados que desonram a toga, atribuição que vem sendo ameaçada por Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) ajuizada no Supremo Tribunal Federal (STF) pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) para que tais punições sejam reservadas apenas às Corregedorias dos Tribunais.

Leonardo Duarte convoca os advogados e diz que a “OAB de Mato Grosso do Sul participará da II Marcha Contra a Corrupção e a Impunidade, movimento que se consolida como instrumento da sociedade civil de vital importância na defesa da cidadania. Vamos buscar a manutenção das competências do Conselho Nacional de Justiça”.

O presidente da OAB/MS também acompanha Ophir Cavalcante, que assim se manifesta na sua convocação: “Ressalta-se, por oportuno, que foi agregado como objeto do movimento - por sugestão deste Conselho Federal — a defesa da independência do CNJ como medida para aprimorar a Justiça, consolidar o regime democrático e fortalecer os direitos individuais e coletivos”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍTICA
Governo anuncia Renda Cidadã, com recursos de precatórios e do Fundeb
JUSTIÇA
Negado pedido de desaforamento por imparcialidade de jurados
ECONOMIA
Taxa média de juros para famílias cai, diz Banco Central
MS
Termina nesta quarta-feira prazo para quitação de licenciamento para placas final 9