Menu
Busca quarta, 12 de agosto de 2020

Analistas elevam pela quinta semana consecutiva projeção para inflação oficial

19 setembro 2011 - 13h50Por Fonte: Matéria
Analistas elevam pela quinta semana consecutiva projeção para inflação oficial em 2011

A projeção de analistas do mercado financeiro para a inflação oficial em 2011 subiu pela quinta semana consecutiva, ao passar de 6,45% para 6,46%. Para 2012, a estimativa também subiu, de 5,40% para 5,50%, pela terceira semana seguida. As projeções constam do boletim Focus, publicação semanal elaborada pelo Banco Central (BC) com base em pesquisa feita com analistas do mercado financeiro.

As expectativas para a inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), estão cada vez mais distantes do centro da meta de inflação de 4,5%, mas dentro do limite superior de 6,5%.

Depois da decisão inesperada do Comitê de Política Monetária (Copom) do BC, no dia 31 de agosto, de reduzir a taxa Selic, usada como instrumento para calibrar a inflação, os analistas reduziram a projeção para os juros básicos. No boletim da semana passada, a estimativa para a Selic ao final deste mês caiu para 11% ao ano e assim permaneceu na pesquisa divulgada hoje. Para 2012, a estimativa caiu pela quarta semana seguida, ao passar de 11% para 10,75% ao ano. Atualmente, a taxa básica está em 12% ao ano. O Copom ainda tem duas reuniões marcadas para 2011, em outubro e em novembro.

A pesquisa do BC também traz projeção para o Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe), que passou de 5,82% para 5,77%, este ano, e permanece em 5%, em 2012.

A estimativa para o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) subiu de 5,67% para 5,76%, este ano, e de 5,03% para 5,05%, em 2012.

Para o Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M), os analistas alteraram a projeção de 5,80% para 5,77%, em 2011, e mantiveram em 5,04% para o próximo ano.

A estimativa dos analistas para os preços administrados passou de 5,55% para 5,60%, em 2011, e de 4,50% para 4,55%, no próximo ano. Os preços administrados são aqueles cobrados por serviços monitorados, como combustíveis, energia elétrica, telefonia, medicamentos, água, educação, saneamento e transporte urbano coletivo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍTICA
Congresso marca três reuniões para analisar todos vetos presidenciais
MATO GROSSO DO SUL
Governo divulga resultado preliminar de processo seletivo para área da saúde
GERAL
Anvisa quer reforçar medidas contra covid-19 em aeroportos e aeronaves
ANTÔNIO JOÃO
Polícia Civil prende foragido da justiça procurado pela prática de falsidade ideológica