Menu
Busca segunda, 28 de setembro de 2020

Campo Grande abre 34 vagas para o programa voltado ao esporte

Campo Grande abre 34 vagas para o programa voltado ao esporte

12 janeiro 2012 - 13h36Por CG News
A Prefeitura de Campo Grande abriu nesta quinta-feira processo seletivo simplificado para a contratação de 34 profissionais que serão destinados ao Programa Segundo Tempo, do Ministério dos Esportes, executado pela Funesp (Fundação Municipal de Esporte). As vagas são para nível superior e médio.

As etapas do processo são avaliação curricular e de títulos, além de entrevista técnica. A contratação tem validade de dois anos.

O edital foi publicado na edição de hoje do Diário Oficial de Campo Grande. A maior demanda é de 30 vagas para a função de coordenador de núcleo. O profissional deve ter graduação em Educação Física e registro no Conselho Regional da profissão. O salário é de R$ 900 com carga horária de 20 horas semanais.

As funções de coordenador pedagógico, coordenador geral e coordenador setorial têm uma vaga cada. A exigência também é graduação em Educação Física e registro no conselho. O salário varia de R$ 1,2 mil a R$ 2,4 mil.

Para técnico administrativo também é oferecida uma vaga. O profissional deve ter ensino médio completo e experiência em serviços administrativos. O salário é de R$ 1,5 mil e a carga horária é de 40 horas.

Os interessados devem fazer inscrições entre os dias 16 e 18 deste mês no horário das 8 às 11 e 13 às 17 horas na Escola de Governo de Campo Grande, que fica na avenida Ernesto Geisel, número 4009, Centro.

Os modelos de ficha de inscrição, currículo e de títulos estão disponíveis no Diogrande desta quinta. Outros detalhes do processo podem ser conferidos por meio do endereço http://www.capital.ms.gov.br/diogrande a partir da página 2.

Programa

O Programa Segundo Tempo é executado pelo Ministério dos Esportes em todo País e tem como objetivo dar acesso à prática esportiva a todos os alunos das Escolas Públicas da Educação Básica.

A ideia central, segundo o ministério, é promover a inclusão, minimizando as desigualdades e qualquer tipo de discriminação por condições físicas, sociais, de raça, de cor ou de qualquer natureza que limitem o acesso à prática esportiva, propiciando benefícios como maior tempo de permanência de alunos nas escolas, contribuir para a melhoria da qualidade da educação, bem como capacitar os monitores envolvidos permitindo a oferta do esporte educacional com qualidade e eficácia.

Em Campo Grande, o programa foi executado em 2010 e teve recurso estimado em R$ 2 milhões.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍCIA
Comerciante morre em acidente na MS-276
BRIGA
Por conta de dívida, homem e mulher brigam no meio da rua e arremessam um contra o outro blocos de concretos e garrafas
GERAL
Pedidos de educação indígena aumentaram 500%, afirma Funai
POLÍTICA
Campanha das eleições municipais começa neste domingo