Menu
Busca domingo, 09 de agosto de 2020

Ceni já pensa na Libertadores: 'Tem de ver quem serve e quem não serve'

Ceni já pensa na Libertadores: 'Tem de ver quem serve e quem não serve'

05 setembro 2011 - 10h21Por Globo Esporte.com
Prestes a chegar aos mil jogos pelo São Paulo, feito que será completado na partida de quarta-feira, contra o Atlético-MG, no Morumbi, o goleiro e capitão Rogério Ceni vê o time se recuperar no Campeonato Brasileiro e voltar a sonhar com o título nacional e com uma vaga na Taça Libertadores da América de 2012. E, no seu último ano de contrato, o camisa 1 nunca escondeu de ninguém que tem como obsessão conquistar o tetracampeonato sul-americano, que seria mais um recorde no clube e no futebol brasileiro. Para formar um elenco forte, o segundo turno do Brasileiro precisa servir de observação.

- Se queremos a Libertadores, já temos de começar a ver quem serve e quem não serve. Tem que analisar dentro de campo a atitude de cada jogador. Quem serve, tem de ser preservado. Quem não serve, infelizmente, vai embora. E aí a diretoria precisará contratar. Se você quer formar um elenco forte, não adianta querer vender o Rhodolfo para o Juventus de Turim porque ele é fundamental, um baita zagueiro. E essa análise tem de começar a ser feita agora. O mesmo vale para os garotos. Quem for bom, joga. Quem não for, espera – afirmou o goleiro, esbanjando autoridade.
O camisa 1 diz que um time campeão não se faz em um ano.

- Em 2003, começamos a montar um time. Alguns deram certo, outros foram embora. No ano seguinte, veio o Cuca e foi se formando a base que só foi dar os frutos esperados em 2005, quando vencemos a Libertadores e o Mundial. Por isso, volto a dizer, é agora que tem de observar quem serve e quem não serve. São nessas análises que você dá sorte de achar um cara como o João Filipe – lembrou o capitão são-paulino.
Apesar de entender tudo o que significa a disputa de um milésimo jogo, Rogério Ceni diz que o feito é importante, mas que serve mais para o torcedor comemorar. Por isso, a festa só estará completa se o time vencer o Atlético-MG e seguir a sua recuperação no Campeonato Brasileiro.

- Não sei o que vai acontecer. Não sei se vai ter fogos, camisetas... mas a festa só será completa se a gente vencer o Atlético. Caso contrário, não tem festa. A festa completa é com a vitória. Para o torcedor poder comemorar e ter orgulho de um jogador que está há tanto tempo no clube.

Deixe seu Comentário

Leia Também

REGIÃO
Mulher foragida da Justiça acaba presa em Aparecida do Taboado
SAÚDE
Transporte em tempos de coronavírus é tema do Caminhos da Reportagem
ESPORTES
Max Verstappen estraga festa da Mercedes e vence GP dos 70 anos da F1
GERAL
Missa no Rio homenageia os mais de 100 mil mortos por covid-19