Menu
Busca segunda, 08 de março de 2021

Cielo sobra nos 100m livre, arranca o ouro e bate o recorde pan-americano

Cielo sobra nos 100m livre, arranca o ouro e bate o recorde pan-americano

17 outubro 2011 - 07h55
Folha.com

Quando o Brasil caiu na água pela primeira vez nas finais deste domingo em Guadalajara, Fabíola Molina bateu na trave e ficou fora do pódio. Quinze minutos depois, Cesar Cielo, com um pé nas costas, recolocou o país no trilho das medalhas. E a cor foi a mesma de sua touca dourada. O campeão olímpico disputou sua primeira decisão nos Jogos Pan-Americanos de 2011 e não decepcionou: arrancou a medalha de ouro nos 100m livre.

A altitude e água fria, dois adversários que Cielo temia em Guadalajara, não foram suficientes para segurar o campeão olímpico. Com 47s84, ele ainda quebrou o recorde pan-americano (que era dele mesmo) e foi ovacionado pelo público mexicano. Ao deixar a piscina, ainda com o peito vermelho, fruto dos já tradicionais tapas antes de cair na água, Cielo acenou para as arquibancadas com a sensação do dever cumprido.

Ele chegou à zona mista gemendo de dor e reclamando da boca seca por causa da altitude, mas já pensando nas Olimpíadas de Londres. No Mundial de Xangai, Cielo conseguiu o ouro nos 50m livre e 50m borboleta, mas falhou nos 100m. Agora, voltou a se referir ao episódio do doping, que lhe custou uma advertência antes do Mundial.

- Está doendo bastante. Mesmo com as duas medalhas de ouro do Mundial, o golpe que eu tinha levado tinha me deixado meio tonto. Sorte dos meus adversários que eu não estava assim lá no Mundial, porque se eu nadei bem aqui, com certeza teria nadado melhor lá. Mas Londres está aí e eu vou começar a pensar mais alto em relação aos 100m. Dá para sonhar mais com essa prova - afirmou.



A ida de Cesar Cielo ao hospital na noite de sexta-feira causou preocupação. A competição de natação do Pan de Guadalajara perderia sua principal estrela. Mas tudo não passou de um susto. O campeão olímpico e bi mundial não só nadou como teve 100% de aproveitamento em seu primeiro dia de disputa: levou o ouro nos 100 m livre e no revezamento 4x100 m livre. Além disso, o paulista ajudou o amigo e companheiro Thiago Pereira na busca por recorde de medalhas.

Cesar Cielo nadou a segunda prova da noite e levou seu segundo ouro no Pan de Guadalajara – repetindo desempenho de quatro anos atrás - com o tempo de 3min14s65, com Nicholas Oliveira fechando a prova e cravando o novo recorde da competição.

O tempo de recuperação foi de apenas duas provas, e o campeão olímpico voltou às piscinas. Agora, para compor o forte revezamento brasileiro dos 4x100 m livre ao lado de Bruno Fratus, Nicholas Santos e Nicolas Oliveira.

“Ganhar é sempre uma grande emoção e ganhar com os amigos é melhor ainda. Estamos andando para a Olimpíada com um grande revezamento”, afirmou à Record Cielo, seguido por Oliveira. “A gente estava mais preocupado com o ouro do que com o tempo. Com recorde fica com um gostinho melhor.”

Na eliminatória, a equipe verde-amarela foi composta por Gabriel Mangabeira, Henrique Rodrigues, Thiago Pereira e Nicholas Santos. A participação na prova classificatória foi suficiente para Pereira garantir seu segundo ouro neste Pan – o primeiro veio nos 400 m medley.

O nadador fluminense ainda nadará os 200 m medley, 100 m e 200 m costas, 200 m peito, além dos revezamentos 4x100 m medley e 4x200 m livre. Ele tenta superar a marca obtida no Rio-2007 de seis ouros, uma prata e um bronze.

Deixe seu Comentário

Leia Também

EDUCAÇÃO
Pré-selecionados do Prouni têm até sexta para comprovar informações
ECONOMIA
União pagou R$ 1,35 bilhão de dívidas de estados em fevereiro
CAARAPÓ
Suspeito de homicídio é preso em flagrante pela Polícia Civil
ECONOMIA
Valor médio de auxílio emergencial será de R$ 250, diz Guedes