Menu
Busca terça, 01 de dezembro de 2020

Com alta do dólar, começam a cair gastos de brasileiros em viagens ao exterior

23 setembro 2011 - 17h00
Com alta do dólar, começam a cair gastos de brasileiros em viagens ao exterior

Agência Brasil



Os gastos de brasileiros em viagens internacionais estão caindo em setembro, informou hoje (23) o chefe do Departamento Econômico do Banco Central (BC), Tulio Maciel. Em setembro, até hoje, esses gastos estão em US$ 969 milhões, sendo que fecharam agosto em US$ 1,903 bilhão.

Segundo Maciel, os dados deste mês mostram “arrefecimento” devido à alta do dólar e também porque setembro é um período em que normalmente há redução das viagens. “Dada a volatilidade do câmbio, é natural que as pessoas aguardem período mais propício [para comprar dólares para a viagem ou gastar no cartão de crédito]”, disse Maciel.

De janeiro a agosto de 2011, essas despesas ficaram em US$ 14,283 bilhões contra US$ 9,891 bilhões registrados em igual período do ano passado.

Já os gastos de estrangeiros no Brasil chegaram a US$ 4,465 bilhões nos oito meses do ano, ante US$ 3,860 bilhões de igual período de 2010. Somente em agosto, os estrangeiros deixaram no país US$ 605 milhões.

O resultado da conta de viagens internacionais é formada pelos gastos de brasileiros no exterior e pelas receitas deixadas por estrangeiros no Brasil. A previsão do BC para o saldo negativo da conta de viagens internacionais passou de US$ 15 bilhões para US$ 16 bilhões, este ano.

Segundo Maciel, o aumento da previsão do resultado negativo dessa conta levou em consideração os resultados “bastante expressivos” registrados nos meses do ano.

De janeiro a agosto deste ano, o déficit na conta de viagens internacionais ficou em US$ 9,818 bilhões, ante US$ 6,031 bilhões registrados em igual período de 2010.


Os gastos de brasileiros em viagens internacionais estão caindo em setembro, informou hoje (23) o chefe do Departamento Econômico do Banco Central (BC), Tulio Maciel. Em setembro, até hoje, esses gastos estão em US$ 969 milhões, sendo que fecharam agosto em US$ 1,903 bilhão.

Segundo Maciel, os dados deste mês mostram “arrefecimento” devido à alta do dólar e também porque setembro é um período em que normalmente há redução das viagens. “Dada a volatilidade do câmbio, é natural que as pessoas aguardem período mais propício [para comprar dólares para a viagem ou gastar no cartão de crédito]”, disse Maciel.

De janeiro a agosto de 2011, essas despesas ficaram em US$ 14,283 bilhões contra US$ 9,891 bilhões registrados em igual período do ano passado.

Já os gastos de estrangeiros no Brasil chegaram a US$ 4,465 bilhões nos oito meses do ano, ante US$ 3,860 bilhões de igual período de 2010. Somente em agosto, os estrangeiros deixaram no país US$ 605 milhões.

O resultado da conta de viagens internacionais é formada pelos gastos de brasileiros no exterior e pelas receitas deixadas por estrangeiros no Brasil. A previsão do BC para o saldo negativo da conta de viagens internacionais passou de US$ 15 bilhões para US$ 16 bilhões, este ano.

Segundo Maciel, o aumento da previsão do resultado negativo dessa conta levou em consideração os resultados “bastante expressivos” registrados nos meses do ano.

De janeiro a agosto deste ano, o déficit na conta de viagens internacionais ficou em US$ 9,818 bilhões, ante US$ 6,031 bilhões registrados em igual período de 2010.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Seis milhões de pessoas pediram empréstimo na pandemia, diz IBGE
CORONAVÍRUS
Falta de leitos de UTI coloca em risco população de Dourados, diz secretário
TRÊS LAGOAS
Polícia Civil esclarece homicídio qualificado ocorrido em novembro e prende suspeito
ESTADO
Novo sistema vai reforçar combate a exploração sexual de crianças e adolescentes no MS