Menu
Busca quarta, 27 de janeiro de 2021

Corpo de Bombeiros orienta sobre os perigos de soltar pipa e o uso do cerol

17 agosto 2012 - 17h00
Douradosagora


Uma das brincadeiras preferidas ao ar livre das crianças é empinar pipa ou papagaio, especialmente nos mês de julho e agosto, época de férias e muito vento.

Mas tal brincadeira transforma-se em perigo quando entra em cena o cerol, uma mistura de cola e vidro, que é passada na linha da pipa.

Utilizado pela maioria dos garotos para “torar” a linha de outras pipas, consideradas como “adversárias”, o cerol pode cortar e ferir motociclistas, ciclistas e até pedestres que passam pelo local.

O uso do cerol é proibido pela Lei nº 7.189/86, e os responsáveis pelos menores envolvidos em acidentes relacionados ao uso são responsabilizados.

O Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul (CBMMS) dá as seguintes dicas de segurança: não soltar pipas em dias de chuva, principalmente se houver relâmpagos; evitar brincadeiras perto de antenas, fios telefônicos ou cabos elétricos; procurar locais abertos como praças e parques; tentar soltar pipa sem rabiola, como as arraias, pois na maioria dos casos, a pipa prende no fio por causa da rabiola; não empinar pipa em cima de lajes e telhados; jamais utilizar linha metálica, como fio de cobre de bobinas ou cerol; não fazer pipas com papel laminado, o risco de choque elétrico é grande; ter atenção especial com as motociclistas e ciclistas — a linha pode ser perigosa para eles e ficar atento para que a linha não entre na frente deles.

Se a pipa enroscar em fios, não tentar tirá-la, é melhor fazer outra e nunca usar canos, vergalhões ou bambus, orienta o Corpo de Bombeiros.

Também a orientação é ter cuidados com o trânsito ao correr atrás das pipas.(Governo do Estado de Mato Grosso do Sul)

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Saúde atualiza plano de vacinação com novas categorias na prioridade
BATAGUASSU
Polícia Militar apreende mercadorias descaminhadas
IMUNIZAÇÃO
Vacinas já distribuídas atendem cerca de 10% dos públicos prioritários
BRASIL
Justiça lança projeto-piloto para redução da oferta de drogas ilícitas