Menu
Busca quinta, 26 de novembro de 2020

Criminosos aumentam volume do som para matar homem a pancadas

Criminosos aumentam volume do som para matar homem a pancadas

30 novembro 2011 - 18h40Por Correio do Estado
Dois pedreiros aguardam em liberdade o julgamento pela morte de Melchiades Garcia de Gonzales, 60 anos. Eles foram apresentados pelo delegado Edilson dos Santos, na Delegacia Especializada em Homicídios (DEH) e demonstraram frieza e descaso ao falar sobre o acontecido.

Sílvio da Silva Sousa, 32 anos e Francisco José Mezza, 39 anos, confessaram ter matado Melchiades no dia 10 de setembro deste ano no Bairro Jardim Pênfigo. Segundo o depoimento prestado ao delegado, eles estariam bebendo em um bar nas proximidades da casa na Rua Abrão Caetano Macedo, quando resolveram ir para a casa. Chamaram Melchiades, que haviam acabado de conhecer e continuaram a beber na casa.

Então uma briga teria começado por conta da embriaguez e, segundo Sílvio, Melchiades deu um soco em seu rosto e os amigos Francisco e Sílvio, revidaram. Sílvio confessa que a agressão foi mais longe do que pensavam e tiveram que aumentar o volume do som para que pudessem bater a cabeça de Melchiades na parede sem que os vizinhos percebessem.

Sílvio diz que ele e Francisco já tinham uma “ligação” e por isso omitiu o assassinato, ligando para a polícia e dizendo que um cadáver de desconhecido “apareceu” na casa. Eles responderão ao processo em liberdade.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Júri condena membros de grupo de extermínio a mais de 100 anos de prisão
PANDEMIA
Leitos Covid-19: Percentual de ocupação passa dos 90% na macrorregião de Campo Grande
CAMPO GRANDE
Polícia Civil prende traficante que atuava por redes sociais
NOTÍCIAS
Baseado em psicografias de Chico Xavier, "Nosso Lar" é atração do Autocine