Menu
Busca sábado, 27 de fevereiro de 2021

Desta vez, a censura pública ao profissional foi por indisciplina

Desta vez, a censura pública ao profissional foi por indisciplina

16 novembro 2011 - 13h30
Campograndenews

Denunciado por atos libidinosos, o médico Wilson Roberto Cardoso Farias recebeu nova punição do CRM (Conselho Regional de Medicina). Desta vez, a censura pública foi por indisciplina.

De acordo com o advogado do conselho, André Borges, o profissional deixou de prestar esclarecimentos ao CRM e não preencheu prontuário médico.

No ano passado, Wilson Roberto foi punido com censura pública pelo CRM por assédio sexual a pacientes em Campo Grande. Ele também teve o registro suspenso por 30 dias, mas recorreu à justiça federal, que cancelou a suspensão.

As pacientes denunciaram que o médico, que é obstetra e ginecologista, praticava atos libidinosos durante a consulta.

À época da primeira punição, o médico trabalha no posto de saúde do bairro Mata do Jacinto, em Campo Grande. A punição com censura pública tem efeito moral, mas não cassa o registro profissional.

Deixe seu Comentário

Leia Também

GERAL
Satélite brasileiro será lançado na madrugada deste domingo
PARANAÍBA
Polícia Militar tira de circulação mais um casal traficante de drogas
LEGISLATIVO
Deputado Neno Razuk solicita verbas para recapeamento de trecho da MS-487
REGIÃO
PMA autua infrator por construção de dreno poluindo córrego e por manter gado degradando margens