Menu
Busca terça, 01 de dezembro de 2020

Em 2011, MDS investiu R$ 35 mi em unidades de segurança alimentar

Em 2011, MDS investiu R$ 35 mi em unidades de segurança alimentar

27 dezembro 2011 - 16h54Por Assessoria
Para fortalecer o enfrentamento à extrema pobreza e promover a segurança alimentar e nutricional, o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) investiu mais de R$ 35 milhões em 2011 em convênios com municípios para abertura de Cozinhas Comunitárias, Bancos de Alimentos, Restaurantes Populares e unidades de apoio à distribuição de alimentos.

Os municípios que recebem os recursos são selecionados por meio de edital público. Os equipamentos deverão estar em funcionamento até 2014, prazo para que todo o processo seja executado, da licitação para compra de material de construção e equipamentos à conclusão da obra. O recurso do governo federal se destina à edificação ou reforma predial e aquisição de móveis e utensílios. A manutenção e a gestão são de responsabilidade das prefeituras.

Mais de R$ 11,5 milhões se destinaram à abertura de Cozinhas Comunitárias em 40 cidades. Para Bancos de Alimentos, foram R$ 3,1 milhões em 14 municípios e, para a construção de Restaurantes Populares, R$ 9,6 milhões foram investidos em 11 municípios. A criação de unidades de apoio à distribuição de alimentos em 26 municípios se beneficiou com R$ 10,6 milhões.

Essas unidades integram a rede de equipamentos públicos de segurança alimentar e nutricional do MDS. O objetivo é incentivar, além do fornecimento de refeições saudáveis, atividades de formação e qualificação profissional na área de alimentação, nutrição e gastronomia, junto aos beneficiários do Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, e o escoamento da produção da agricultura familiar. Os equipamentos são construídos em áreas com maior concentração de pessoas em situação de pobreza.

Estratégia – Paulo José da Silva almoça diariamente no Restaurante Popular de Diadema, em São Paulo. “A comida é balanceada, variada e barata. Com R$ 1,50, não preparo um almoço em casa. Estamos muito bem servidos e a população agradece por isso.” O município conta com dois Restaurantes Populares, 14 Cozinhas Comunitárias e um Banco de Alimentos, além de um Centro de Referência em Segurança Alimentar e Nutricional.

Há quatro anos, Aguinaldo Bezerra da Silva é o responsável pela Associação Paulista das Igrejas Adventistas do 7º Dia (Adra) em Diadema. Recolhe semanalmente a doação do Banco de Alimentos do município. “Recebemos arroz, açúcar, feijão, batata, coentro e banana e doamos a 61 famílias. Antes, com as doações da igreja, só dava para atender 15 famílias. É uma bênção, faz muita diferença.” Aguinaldo conta que, anualmente, o cadastro das famílias é refeito. “Aquelas que já conseguem caminhar sozinhas saem do cadastro e incluímos outras. Temos uma lista de espera com 32 famílias.”

Dentro da estratégia do Plano Brasil Sem Miséria, em 2012, além de recursos para a abertura de mais unidades, o MDS destinará R$ 28 milhões para a qualificação de pessoal. “A estratégia será buscar a qualificação da gestão e dos serviços nos equipamentos de alimentação e nutrição nos 160 municípios que já possuem unidades instaladas”, informa o diretor da Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Sesan) do MDS, João Tadeu Pereira.

Cozinhas Comunitárias – Serão criadas em municípios selecionados para os projetos Praças do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e Creches ProInfância, do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Oferece refeições adequadas a preços acessíveis à população de baixa renda. As unidades têm capacidade mínima de produção de cem refeições diárias.

Bancos de Alimentos – Priorizam municípios operadores do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e os que operem no mínimo 30% dos recursos do FNDE para aquisição de gêneros alimentícios da agricultura familiar, em cumprimento à Lei nº 11.497/2009, do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae). Servem de abastecimento e combate ao desperdício e atuam na doação a entidades socioassistenciais pertencentes ao Sistema Único de Assistência Social (Suas).

Restaurantes Populares – Oferecem refeições adequadas a preços acessíveis à população de baixa renda, entre R$ 1 e R$ 2. As instalações apoiadas têm capacidade mínima de produção de mil refeições diárias e estão em municípios acima de 100 mil habitantes.

Unidades de apoio à distribuição de alimentos – São instaladas na zona rural de municípios pertencentes ao Programa Territórios da Cidadania, com população de até 50 mil habitantes. Apoiam a agricultura familiar, em especial produtores que fornecem ao PAA e à alimentação escolar. Podem apoiar a comercialização direta dos alimentos nos mercados locais e regionais, visando à inclusão social e produtiva e ao fortalecimento de sistemas públicos agroalimentares locais de base agroecológica e solidária.

Com apoio do MDS, já foram criados, em todo o país, 72 Bancos de Alimentos, 406 Cozinhas Comunitárias e 92 Restaurantes Populares.

Deixe seu Comentário

Leia Também

LAGUNA CARAPÃ
Caminhão que seguia para Campo grande com mais de seis toneladas de maconha foi apreendido pelo DOF
PROPINA DIFERENTE
Traficante Minotauro usou canetas de US$ 900 para pagar propina a agentes paraguaios, afirma MPF
ECONOMIA
Seis milhões de pessoas pediram empréstimo na pandemia, diz IBGE
CORONAVÍRUS
Falta de leitos de UTI coloca em risco população de Dourados, diz secretário