Menu
Busca terça, 01 de dezembro de 2020

Fábio Assunção repudia piada de Rafinha Bastos a seu respeito

12 outubro 2011 - 23h51Por MSN
Rafinha Bastos acaba de ganhar mais um inimigo. Após fazer uma piada com Fábio Assunção em um de seus shows no interior de São Paulo, onde disse que a operadora de telefonia Nextel oferece serviços a prostitutas e traficantes e que “não é à toa que tem Fábio Assunção como garoto-propaganda”, o ator resolveu se manifestar sobre o assunto e comentou a declaração do humorista em sua página no Facebook.

“Eu repudio, de todas as maneiras e em nenhum caso, qualquer manifestação que provoque constrangimento a qualquer pessoa, seja o motivo que for. Imagino o desconforto do público tendo que engolir um alimento tão estragado e enjoativo, levado a acreditar que isso é bacana. O que é perecível passa, não resiste ao tempo. E é um desafio de gente grande, de grandes artistas, não preterir a inteligência... e o bom gosto quando os risos estão sendo conquistados com tão pouco, com migalhas, por um público com a crítica ainda em formação", escreveu Fábio.

E ele continuou: "Isso para mim traz à discussão que existem tarefas muito mais grandiosas para um artista brasileiro hoje, além de fazer sua própria arte. Há um público a ser conquistado, carentes de humor, que merece outro approach, consideração e encaminhamento”, postou Assunção.

A situação de Rafinha não está nada boa. Além deste novo caso com Assunção, o humorista teria pedido demissão da Band após ser cortado da bancada do programa "CQC". A alta cúpula da emissora decidiu por isso quando a piada de Rafinha com a cantora Wanessa - ele disse que "comeria ela e o bebê" que ela espera - ganhou uma repercussão absurda. Agora, a Band corre o risco até de perder o "CQC" de sua grade.

Deixe seu Comentário

Leia Também

LAGUNA CARAPÃ
Caminhão que seguia para Campo grande com mais de seis toneladas de maconha foi apreendido pelo DOF
PROPINA DIFERENTE
Traficante Minotauro usou canetas de US$ 900 para pagar propina a agentes paraguaios, afirma MPF
ECONOMIA
Seis milhões de pessoas pediram empréstimo na pandemia, diz IBGE
CORONAVÍRUS
Falta de leitos de UTI coloca em risco população de Dourados, diz secretário