Menu
Busca quarta, 23 de setembro de 2020

Forças armadas de Brasil e Bolívia estreitam relações com acordo bilateral

Forças armadas de Brasil e Bolívia estreitam relações com acordo bilateral

27 janeiro 2012 - 08h49
Campograndenews

Com o objetivo de apertar o cerco contra o tráfico de drogas e interceptar aeronaves que transportam ilícitos no espaço aéreo de Brasil e Bolívia, representantes das Forças Armadas dos dois países encerraram hoje a 2ª Reunião do Grupo de Trabalho Bilateral de Defesa.

Nos dois dias de encontros, realizados no CMO (Comando Militar do Oeste), em Campo Grande, os militares discutiram estratégias de atuação e, principalmente, celebraram acordos para estreitar as relações entre as duas Forças.

Na Aeronáutica, os dois países realizarão um exercício conjunto entre os dias 17 e 22 de junho. Duas reuniões ainda serão realizadas até lá para definir detalhes técnicos dos treinamentos.

Além disso, segundo o General-de-Exército José Carlos De Nardi, Chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, a Bolívia está interessada na aquisição de dois veículos aéreos não-tripulados para ajudar no combate ao narcotráfico na fronteira. Hoje, a divisa entre os dois países é uma das principais rotas de entrada de droga no Brasil.

“Hoje, a Bolívia tem a intenção de montar um sistema de controle de tráfego aéreo para reduzir o tráfico e o Exército Brasileiro vai continuar com as operações Agatha em 2012. Esse acordo é contínuo”, afirmou.

Além da troca de informações, os acordos consistem ainda no intercâmbio e realização de cursos por praças e oficiais de ambos os países. Na Marinha, ainda este ano, militares deverão realizar operações fluviais no Pantanal e na Amazônia.

Já o Exército Brasileiro deverá doar peças de reposição para carros bolivianos, abrir cursos de pilotos e oferecer bolsas para oficiais e cadetes até 2013. Carros de combate brasileiros também poderão ser doados.

“Muito acordos são feitos, mas o mais importante é a luta contra o tráfico. É importante ainda para as Forças Armada da Bolívia manter essa relação”, disse o Tenente-Brigadeiro-do-Ar Tito Roger Gandarillas Salazar, Comandante das Forças Armadas da Bolívia.

Os dois países buscam manter cooperação entre suas Forças Armadas desde 2002, quando foi realizada a primeira reunião.

Em 2011, os Ministros de Defesa da Bolívia e do Brasil assinaram, em La Paz, o “Memorando de Cooperação Militar” onde foram acordados alguns entendimentos como: cooperar mutuamente em casos de desastres naturais, manter canais de cooperação e intercâmbio de informações nas unidades de fronteira, para o controle de atividades ilícitas, tráfico de armas e luta contra o narcotráfico, entre outros.

Deixe seu Comentário

Leia Também

JUSTIÇA
STF mantém obrigação de locadoras terem cota de veículos adaptados
Norma era questionada pela Confederação Nacional dos Transportes
NOTÍCIAS
Criança sob guarda deve receber mesmo tratamento que filho em plano de saúde
MEIO AMBIENTE
Números de multas e de focos de queimadas no MS já superam 2019
POLÍTICA
Brasil é vítima de desinformação sobre meio ambiente, diz Bolsonaro