Menu
Busca terça, 24 de novembro de 2020

Funcionário chamado de chifrudo ganha indenização de 10 mil reais

08 setembro 2011 - 18h31Por Rádio 2
Marido e mulher trabalhavam na mesma empresa. Em determinado momento, a mulher trai o marido com o chefe. O pessoal fica sabendo e começa a hostilizar o colega de trabalho, com o apelido de chifrudo.

A empresa foi acusada, na Justiça do Trabalho, de nada ter feito para evitar o constrangimento e teve que pagar indenização de 10 mil reais ao empregado. Esse tipo de ação tem sido cada vez mais comum e, para se precaver, as empresas recorrem até à demissão por justa causa.

Os casos mais comuns de assédio moral são cometidos por chefes que fazem exigências absurdas aos subordinados. Isso ocorre nessas situações: quando o empregado recebe tarefas com prazos impossíveis de serem cumpridos.

O funcionário é transferido de uma área de responsabilidade para cumprir funções banais. O empregado é ignorado ou excluído e a comunicação com ele só é feita por terceiros. Sonegar trabalho. Subestimar esforços. Determinar tarefas incompatíveis com o cargo. Roubar ideias do funcionário. Espalhar rumores maliciosos. Criticar com persistência.

É bom lembrar que a Justiça do Trabalho também tem dado ganho de causa, quando há assédio moral de um grupo de funcionários contra o chefe.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Brasileiros acreditam em inflação de 4,8% nos próximos 12 meses
CORONAVÍRUS
Diagnosticado com covid-19, o vice-prefeito de Ponta Porã, Caio Augusto (PSD), está internado na UTI
POLÍTICA
Lei sobre Internet das Coisas pode gerar milhões de empregos
Avaliação é do Ministério das Comunicações
OPERAÇÃO MOTOR DE LAMA
RF, PF e CGU combatem esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas no estado do MS