Menu
Busca domingo, 29 de novembro de 2020

Governo vê riscos de crise da PM se alastrar para seis Estados

Governo vê riscos de crise da PM se alastrar para seis Estados

08 fevereiro 2012 - 09h39
Folha.com

Após a greve de policiais militares que já dura uma semana na Bahia, o governo federal vê risco elevado de que o problema se alastre para mais seis Estados. São eles: Rio de Janeiro, Pará, Paraná, Alagoas, Espirito Santo e Rio Grande do Sul.

A informação é de reportagem publicada na edição desta quarta-feira da Folha. A reportagem completa está disponível para assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha.

O Rio é considerado o local mais crítico, inclusive pelo temor de haver cenas violentas às vésperas do Carnaval, daqui a dez dias. A PM do Estado deve decidir amanhã se para ou não.

A presidente Dilma Rousseff foi comunicada de que o levante baiano fazia parte de uma articulação nacional para pressionar o governo a apoiar, no Congresso, a aprovação da PEC 300. A proposta de emenda constitucional estabelece um piso salarial para bombeiros e PMs.

BAHIA

Ontem (7), a Polícia Federal prendeu o sargento Elias Alves, um dos líderes da greve de policiais militares na Bahia. Esse é o segundo dos 12 mandado de prisão expedidos contra comandantes da paralisação no Estado que foi cumprido.

A Assembleia Legislativa da Bahia foi invadida pelos grevistas e está cercada por homens do Exército desde a madrugada de segunda-feira. Diversos focos de tumulto já ocorreram no local, e homens do Exército usaram balas de borracha e bombas de efeito moral.

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOTÍCIAS
Com ambiente 3D, Secretaria de Estado de Saúde realiza 4° Meeting Nacional de Farmácia Clínica
LOTERIA
Ninguém acerta a Mega-Sena e prêmio principal acumula em R$ 7 milhões
PANDEMIA
Covid-19: aumento no número de casos coloca 31 municípios em grau de risco no Prosseguir
ELEIÇÕES 2020
Eleitores de 57 cidades voltam às urnas neste domingo no segundo turno