Menu
Busca terça, 26 de janeiro de 2021

Homem atira em bandido, mas tiro atinge enteada na Paraíba, diz polícia

23 julho 2012 - 16h20
Portal G1

Uma menina de 5 anos foi atingida por um tiro na cabeça na noite do domingo (22) no município de Alagoinha, no Agreste paraibano. De acordo com a polícia, o autor do disparo é padrasto da criança. Ele atingiu a menina na tentativa de salvá-la de um bandido que a ameaçava com uma faca. A criança foi socorrida por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e está internada em estado grave no Hospital de Emergência e Trauma em João Pessoa.

De acordo com o relatório do 4º Batalhão da Polícia Militar em Guarabira, que está responsável pelo caso, por volta das 18h dois homens entraram na casa da vítima para cobrar uma dívida ao padrasto da criança. Segundo a polícia, um dos homens agarrou a criança e a ameaçou com uma faca. O outro ameaçou a mãe da menina.

Na tentativa de salvar a companheira e a enteada, o homem atirou na direção de um dos criminosos que estava com a criança. Um dos disparos atingiu o pé do rapaz e ou outro atingiu a cabeça da menina. Após os tiros, o padrasto fugiu. A mãe da menina ligou para o Samu. Ela está internada em estado grave na UTI do Hospital de Emergência e Trauma na capital. A polícia informou que até as 6h30 desta segunda-feira (23) o padrasto ainda não havia sido localizado. Os dois criminosos que ameaçaram a menina também fugiram após os tiros e não foram capturados.

Outro caso
Já em João Pessoa, uma menina de 10 anos foi baleada na perna na comunidade Porto de João Tota no bairro Mandacaru. De acordo com a polícia, a garota foi ferida no domingo (22) durante uma briga entre grupos rivais da comunidade. Ela está internada em estado regular no Hospital de Emergência e Trauma na capital.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Brasil tem quase 30 mil novos casos de hanseníase por ano
CONTRABANDO E CRIME AMBIENTAL
Goiano é autuado pela PMA e preso por Policiais Militares com agrotóxicos do Paraguai
JUSTIÇA
Estudante que ficou três anos sem diploma será indenizada
CASSILÂNDIA
Polícia Militar prende mulher por agredir marido