Menu
Busca quarta, 23 de setembro de 2020

Horário de verão termina no domingo e economia deve ficar em 0,5% em MS

19 fevereiro 2012 - 11h53Por CG News
O horário de verão termina no próximo domingo (26) em Mato Grosso do Sul e outros nove estados das regiões Centro-Oeste, Sul e Sudeste, além da Bahia e do Distrito Federal. Os relógios deverão ser atrasados em uma hora.

A economia no Estado deve ser de 9.959 MWH, segundo estimativa divulgada anteriormente pela Enersul. O número representa 0,5% ao longo dos 133 dias, volume equivalente ao consumo da cidade de Ponta Porã durante um mês.

Economia nacional - A economia que a medida deve trazer para o país pode variar entre R$ 75 milhões e R$ 100 milhões, segundo estimativa do NOS, órgão responsável pela operação do sistema elétrico nacional. No verão 2010/2011, o horário de verão gerou uma economia de R$ 30 milhões ao sistema elétrico.

Aplicada pela 41ª vez desde sua criação, em 1931, o horário especial tem por objetivo proporcionar o melhor aproveitamento da luz natural, reduzindo o consumo de energia entre as 18h e as 20h. Segundo o Ministério de Minas e Energia, a desconcentração da demanda reduz o risco de problemas nas linhas de transmissão, nas subestações e no sistema de distribuição que poderiam afetar o fornecimento de energia elétrica.

Segundo informações de reportagem da Agência Brasil, este ano, devido ao Carnaval, o horário vai até o dia 26 e totaliza uma semana a mais que nos últimos anos. O motivo é que o terceiro domingo de fevereiro, quando os relógios deveriam ser atrasados em uma hora, será feriado de Carnaval. Pelo Decreto nº 6.558, que regulamenta a medida, quando a data coincide com o feriado do carnaval, o encerramento é adiado para o domingo seguinte.

Deixe seu Comentário

Leia Também

JUSTIÇA
Acusação indevida de assédio moral gera indenização
PONTA PORÃ
Caminhões com 120 bovinos trazidos ilegalmente do Paraguai foram apreendidos pelo DOF
MEIO AMBIENTE
Infratora é autuada em R$ 56 mil por incêndio em madeira que se alastrou para pastagem
COMBUSTÍVEIS
ANP realiza mais de 7,4 mil fiscalizações no semestre