Menu
Busca sexta, 30 de outubro de 2020

Morte de casal gay em novela é forma de protesto

Morte de casal gay em novela é forma de protesto

04 agosto 2011 - 08h32Por Manuela Meneses
Os autores da novela Insensato Coração, Gilberto Braga e Ricardo Linhares, buscam inspiração em fatos do cotidiano para compor suas histórias e personagens. Desde sua estreia, em 17 de janeiro deste ano, a trama exibida às 21h na Rede Globo vem abordando enredos intrigantes. Entre os temas principais exibidos no horário nobre da emissora estão a relação conturbada entre pais e filhos, a gravidez indesejada e as habituais traições entre os casais. Nenhuma dessas crises, porém, provoca tanto falatório quanto o núcleo homossexual da novela. O elenco conta com seis personagens de diferentes facetas do universo gay.

O segredo do sucesso é uma mistura de bom humor com discussões de assuntos importantes, que enfrentam resistência de grupos conservadores. Grande parte do público, por exemplo, torce pela morte dos personagens. O tema vem à tona no cotidiano com a aprovação do Dia do Orgulho Heterossexual pela Câmara Municipal de São Paulo, nesta terça-feira, 2. Para se transformar em lei, é preciso que a data seja sancionada pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab.

Enquanto a sociedade discute a legitimidade de se criar a data, a intenção de Braga e Linhares é conscientizar os telespectadores sobre o preconceito. Desde os ataques ocorridos no final de 2010 na Avenida Paulista, quando skinheads espancaram dois jovens na capital de São Paulo, o roteiro passou então a ser uma forma de protesto. A primeira surpresa nesse aspecto será a morte de Gilvan, personagem homossexual interpretado por Miguel Rocato. O jovem será atacado pela gangue de Vinícius, que pretende ensinar o garoto a ser homem. Mas o pitboy se descontrola e acaba assassinando Gilvan.


Na última semana, foi divulgado o primeiro desfecho do casal de namorados Eduardo (Rodrigo Andrade) e Hugo (Marco Damigo): após fugir da cadeia, Vinicius sai em busca de vingança e procura os responsáveis por sua prisão. No embate final, o assassino dispara contra Eduardo que morre na hora. Sem piedade, o marginal diz: "viado bom é viado morto", e atira em Hugo, que também morre. No segundo final divulgado pela emissora, os dois personagens morrem de forma ainda mais violenta. De acordo com o novo roteiro, Vinícius ataca o casal a pauladas e o resultado é a morte dos dois namorados.


Mesmo sem apresentar o tão aguardado beijo gay masculino, Insensato Coração foi responsável por alguns avanços: apresentou o primeiro galã vivido por um ator negro e destacou assuntos ignorados por muitas famílias. O destaque para o debate sobre o preconceito homossexual vem em muito boa hora, um momento em que a maioria pode ganhar uma data comemorativa provocativa e sem propósito.

Deixe seu Comentário

Leia Também

JUSTIÇA
Pandemia mostrou que o Judiciário pode mudar, diz ministra
MAUS-TRATOS AO ANIMAL
Polícia Militar Ambiental de Aquidauana autua em R$ 3 mil infrator preso por Policiais Militares por matar cachorro alheio a pauladas
ECONOMIA
Déficit primário do Governo Central atinge R$76,16 bilhões em setembro
SEMANA DO SERVIDOR
Por meio virtual, Escolagov entrega XV Prêmio na Gestão Pública