Menu
Busca quarta, 25 de novembro de 2020

Morte na MS-156 denuncia condições das rodovias

Morte na MS-156 denuncia condições das rodovias

06 outubro 2011 - 19h48Por Midiamax
Após mais uma morte ocorrida na madrugada de quarta-feira (05), usuários da MS-156, trecho que liga a área urbana de Dourados ao Distrito Industrial, denunciam as condições das estradas no município. Dourados tem uma malha viária extensa: as BRs 163, 376 e 463 e as MSs 156, 162, 276, 270, 379 e 370, além de vicinais municipais.

Daniele Gonçalves, de 26 anos, morreu durante a madrugada desta quarta-feira na rodovia MS-156 entre Dourados e o Distrito Industrial.Ela retornava da empresa onde trabalhava para casa em uma motocicleta quando uma vaca teria atravessado a pista. Daniele não teria conseguido desviar, atropelando o animal. Ela sofreu ferimentos graves quando caiu da moto e morreu na hora.

Segundo relatório de investimentos do Governo Estadual, Dourados recebeu, de 2007 a 2011, R$ 84.105.357,07 de investimentos em pavimentação de rodovias e pontes. Porém, apesar dos valores investidos, a maioria das vias que ligam o município estão esburacadas, falta sinalização e iluminação. A grande maioria delas não tem acostamento e o tráfego de animais e bicicletas torna as estradas ainda mais perigosas.

A MS-156, no trecho onde a jovem morreu, é um bom retrato da situação das estradas. Em outubro do ano passado um acidente, semelhante ao de ontem, vitimou um motociclista na rodovia. O jovem se chocou com um cavalo que estava na pista e morreu na hora.

Outros dois acidentes em rodovias estaduais denunciam a periculosidade das estradas. No dia 6 de agosto, um jovem indígena foi atropelado na MS-379, no distrito de Panambi. Na época, familiares do jovem denunciaram a falta de iluminação e de acostamento na via.

Outro acidente com vítima fatal aconteceu na MS-162, a Av. Guaicurus, recentemente incorporada à área urbana com o aumento do perímetro. Um jovem militar foi atropelado após tentar atravessar a via em frente ao quartel onde prestava o serviço militar.

A avenida tem um longo histórico de acidentes e teve sua duplicação, sinalização e iluminação prometidas pelo Governo do Estado. Segundo o subsecretário de comunicação do governo, Guilherme Filho, a via será duplicata "até o fim do mandato de André", ou seja, até 2014.

Assim como no caso da Avenida Guaicurus, a MS-156, no trecho onde morreu a jovem, foi incorporada ao perímetro urbano no município. Porém, o secretário municipal de Planejamento, Antônio Nogueira, afirmou que a responsabilidade sobre a via continua com a Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos).

Deixe seu Comentário

Leia Também

DIREITOS HUMANOS
Mídia é parceira no combate violência para mulher, dizem especialistas
JUSTIÇA
2ª Câmara Criminal mantém sentença de condenado por tráfico de drogas
COTAÇÃO
Dólar fecha em queda e cai a R$ 5,32
REGIÃO
Polícia Militar prende autor de ameaça com simulacro em Paranaíba